Finanças

Saque de contas inativas do FGTS deve começar em 10 de março; veja como consultar saldo

Saques ao benefício poderão ser feitos entre março e julho, em lotes, para trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa

14/02/2017 - 08h23min | Atualizada em 14/02/2017 - 10h44min
Saque de contas inativas do FGTS deve começar em 10 de março; veja como consultar saldo Omar Freitas/Agencia RBS
Foto: Omar Freitas / Agencia RBS  

O calendário de saques de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve ser divulgado pelo governo federal na manhã desta terça-feira. Anunciada pelo presidente Michel Temer em dezembro, a permissão para sacar o dinheiro que ficou bloqueado quando o trabalhador pediu demissão ou foi demitido por justa causa começa em março e segue até julho.

Os saques devem começar no dia 10 de março para nascidos em janeiro e fevereiro, de acordo com jornais do centro do país que citam executivos da Caixa como fonte. Conforme as publicações, pessoas nascidas em março, abril e maio poderiam sacar em abril. Quem faz aniversário em junho, julho e agosto, poderia sacar em maio. Nascidos em setembro, outubro e novembro poderiam fazer o saque em junho. Em julho, deveriam sacar os nascidos em dezembro. O calendário oficial, entretanto, só será divulgado em entrevista coletiva do presidente Michel Temer, marcada para as 11h de hoje.  

Leia mais:
Calendário para saques de contas inativas do FGTS divulgado nas redes sociais é falso, alerta Caixa
Estudo mostra o impacto do saque das contas inativas do FGTS na economia
Economistas dão dicas do que fazer com o valor sacado das contas inativas

O benefício vale somente para contas inativas até dezembro de 2015. Segundo o Ministério do Trabalho, 18,6 milhões de contas enquadram-se neste critério. Nelas, estão depositados R$ 41,4 bilhões — a maior parte tem saldo inferior a um salário mínimo e 94% dos cotistas têm saldo entre zero e R$ 3,5 mil.

A estimativa do governo é que 70% dos trabalhadores que têm direito ao saque retirem os recursos dessas contas inativas, injetando, assim, cerca de R$ 30 bilhões na economia. Anteriormente, somente quem estivesse desempregado por ao menos três anos ininterruptos tinha direito a sacar o FGTS de uma conta inativa. As contas inativas do FGTS são as que não recebem mais depósitos do empregador porque o contrato de trabalho foi suspenso.

Como saber se você tem uma conta inativa no FGTS?

Para consultar se tem uma conta inativa no FGTS e o seu saldo, o trabalhador pode consultar o site do FGTS. Para acessar o extrato, é preciso ter em mãos o número de identificação social (PIS/Pasep), encontrado na carteira de trabalho, e uma senha, chamada Senha Cidadão, que pode ser criada no momento do acesso neste endereço.

O extrato informa os dados cadastrais e os lançamentos realizados na conta nos últimos seis meses. Saldo e extrato de contas vinculadas, inclusive as inativas, também são informados na página.

Pela internet
É possível conferir o extrato no site do FGTS. Para isso, é preciso ter cadastrada uma senha eletrônica, que pode ser criada em uma página da Caixa.

Em uma agência da Caixa
O trabalhador pode consultar seu saldo e também solicitar uma senha para acesso online em uma agência da Caixa. Para isso, é preciso levar um documento de identificação (carteira de identidade, carteira de habilitação, carteira de trabalho ou certidão civil) e o número de inscrição PIS/Pasep/NIT.

Pelo celular
Há aplicativos do FGTS disponíveis para os sistemas Android e iOS (veja como baixar). Além de ser possível acessar o site via smartphone, o contribuinte pode optar por receber mensagens no celular com informações da conta do FGTS — assim, abre mão da correspondência recebida a cada dois meses com o extrato.

Por e-mail
O cidadão pode também optar por receber o extrato do FGTS pelo e-mail, informando a preferência no mesmo site em que consulta o extrato.

* Zero Hora, com agências

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.