Política

Sartori anuncia Otomar Vivian para presidência do IPE

Indicação ainda precisa ser referendada pela Assembleia Legislativa

Por: Fábio Schaffner
14/02/2017 - 15h46min | Atualizada em 14/02/2017 - 15h46min
Sartori anuncia Otomar Vivian para presidência do IPE Adriana Franciosi/
Aos 65 anos, Otomar Vivian assume pela terceira vez o instituto de prefidência e saúde do Estado Foto: Adriana Franciosi  

Dez anos depois, Otomar Vivian está de volta ao comando do IPE. O nome do novo presidente do instituto foi confirmado nesta terça-feira pelo governador José Ivo Sartori, durante a cerimônia de lançamento da Expodireto Cotrijal 2017. A indicação, contudo, já havia sido remetida à Assembleia Legislativa no início da semana passada. 

Sartori pediu aos deputados prioridade na apreciação, uma vez que Vivian precisa ser sabatinado pela Comissão de Serviços Públicos e referendado pelo plenário antes de tomar posse. Aos 65 anos, Vivian vai presidir o IPE pela terceira vez. Ele já ocupara o cargo em 1995, durante o governo Antônio Britto, e durante toda a gestão Germano Rigotto (2003-2006). 

Leia mais
Prejuízos e riscos da falência do IPE, plano que atende a 10% dos gaúchos
Plano de saúde do IPE deve ser revisto
Reforma proposta por Sartori é insuficiente para a Previdência gaúcha

Nesta segunda passagem, Vivian fez uma reformulação total do órgão. Na ocasião, ele dividiu as estruturas em IPE-Saúde - responsável pelo plano de saúde que tem hoje 1,1 milhão de segurados - e o IPE-Previdência, que cuida das aposentadorias e pensões. Atualmente, os servidores públicos gaúchos pagam 14% de alíquota previdenciária e 3,1% pelo plano de saúde. 

Vivian assume no lugar de José Alfredo Pezzi Parode, que se aposentou como servidor do Estado e irá assumir a Secretaria do Planejamento de Porto Alegre. À frente do mais abrangente plano de saúde gaúcho, terá como desafios negociar com a classe médica o reajuste no valor pago pelos atendimentos, diminuir o prazo de espera para consultas e exames e a escassez de especialistas, além de reduzir o déficit, cujo valor em 2015 alcançou R$ 107 milhões só no IPE-Saúde. Na Previdência, o buraco é ainda maior. Em 2015, o Rio Grande do Sul registrou o maior déficit previdenciário do país em termos proporcionais, totalizando R$ 7,5 bilhões. 

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.