Saúde pública

Após anúncio de greve dos médicos, atendimento é parcial nas UBSs de Caxias do Sul

Em duas das maiores UBSs da cidade, população foi atendida normalmente; adesão à paralisação ainda é incerta

Por: Maristela Scheuer Deves
20/03/2017 - 08h37min | Atualizada em 20/03/2017 - 10h49min
Após anúncio de greve dos médicos, atendimento é parcial nas UBSs de Caxias do Sul Marcelo Casagrande / Agência RBS/Agência RBS
Atendimento na UBS Desvio Rizzo é normal após anúncio de greve dos médicos Foto: Marcelo Casagrande / Agência RBS / Agência RBS  

Com a greve dos médicos anunciada na semana passada, o atendimento foi parcial nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Caxias do Sul na manhã desta segunda-feira. A UBS do bairro Esplanada, uma das maiores da cidade, abriu ao público às 7h30min. Das 30 pessoas que aguardavam na fila, 15 pretendiam fazer exames e o restante esperava receber uma ficha para consultar com um médico. Durante todo o dia, 51 consultadas estavam disponíveis com os cinco clínicos gerais que atendem no local. Na UBS do Desvio Rizzo, o atendimento também corria dentro da normalidade. 

Leia mais
Tamanho da adesão de médicos à greve ainda é incerta em Caxias
Durante paralisação dos médicos em Caxias, Samu pode ser acionado para atender casos de emergência em UBS

Das UBSs visitadas pela reportagem, apenas a do Vila Ipê estava sem atendimento médico. Os três profissionais que atendem na unidade aderiram à paralisação. As pessoas que procuraram o local eram orientadas a voltar na próxima semana. A unidade atende o Vila Ipê, Cânyon, parte dos bairros Santa Fé, Belo Horizonte, Colina do Sol e da Vila Maestra. Na UBS do Cinquentenário, um cartaz avisava que as consultas com ginecologista e pediatra estavam suspensas até a sexta-feira. No Centro Especializado de Saúde (CES), o atendimento era parcial. Dos 24 médicos que atendem no local, apenas 10 foram ao trabalho.

Liderada pelo Sindicato dos Médicos, a categoria prometeu paralisar as atividades a partir desta segunda-feira. A previsão é de que a greve encerre somente na sexta-feira. Ainda há dúvida sobre quantos médicos deixarão de comparecer ao trabalho. Uma estimativa do sindicato é de que ao menos 70% dos 180 profissionais que hoje não batem cartão paralisem os atendimentos. os demais, cerca de 160, já cumprem a jornada no Postão 24h e na Estratégia Saúde da Família e não devem participar da mobilização.

Os médicos não querem bater cartão-ponto e cumprir a carga horária sem aumento de salário. A Secretaria de Recursos Humanos e Logística tenta apressar a contratação de 22 médicos temporários e a nomeação de oito médicos aprovados em concurso. O prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra, já anunciou que o município tem condições de chamar outros 70 novos profissionais, se necessário.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.