Latrocínio

Polícia prende jovem por morte de doutorando em assalto em Porto Alegre

Denis da Silva Maduré, de 19 anos, disse que matou o estudante Masahiro Hatori porque se assustou com movimento da vítima

17/03/2017 - 10h22min | Atualizada em 17/03/2017 - 15h05min
Polícia prende jovem por morte de doutorando em assalto em Porto Alegre Arquivo pessoal/Facebook
O doutorando em Física da UFRGS, Masahiro Hatori, morreu no início deste mês Foto: Arquivo pessoal / Facebook  

A Polícia Civil prendeu na manhã desta sexta feira, no bairro São José, na zona Leste de Porto Alegre, um jovem de 19 anos pelo latrocínio do estudante de doutorado em Física da UFRGS, Masahiro Hatori, no início deste mês. O rapaz foi preso após denúncia sobre a localização do carro utilizado na ação. As informações são da Rádio Gaúcha.

Leia mais:
Doutorando morre após ser baleado na cabeça durante assalto em Porto Alegre
Pombas brancas são soltas em homenagem a doutorando morto na Capital
Roubos a pedestres motivaram mais da metade dos casos de latrocínios em 2016

Denis da Silva Maduré, 19 anos, foi detido em casa e confessou o crime. Ele disse que estava passando pelo local quando viu a vítima e decidiu realizar o assalto. Segundo o delegado Juliano Ferreira, o criminoso afirmou que atirou porque se assustou com o movimento feito pela vítima quando ela foi pegar a mochila.

— Tão logo ingressamos na casa, imediatamente ele já sabia o motivo e confirmou a identidade do segundo suspeito. Disse que eles já tinham praticado um outro roubo antes do assalto à vítima que eles acabaram matando.

O segundo envolvido, responsável por dirigir o veículo EcoSport, ainda não foi localizado. Ele foi identificado pelo próprio comparsa como Valmir William Pacaí, 23 anos. 

De acordo com o delegado Juliano Ferreira, responsável pela investigação, o suspeito é proprietário do veículo utilizado no crime. O carro, principal elemento para a localização de Denis, estava escondido na casa de um familiar de Valmir.

Denis da Silva Maduré, 19 anos, foi preso em casa e confessou o crime Foto: Polícia Civil / Divulgação

— É morador numa casa muito boa, de classe média. Pais trabalhadores, a mãe estava chegando em casa do trabalho em uma clínica. Infelizmente o filho está envolvido nesse crime bárbaro e segue foragido.

O delegado afirmou durante coletiva realizada nesta manhã no Palácio da Polícia – com a presença do Chefe da Polícia Civil, Delegado Emerson Wendt, e do Chefe da Regional de Porto Alegre, delegado Eduardo Hartz – que a dupla tem antecedentes por roubo e tráfico de drogas. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.