Lava-Jato

Aécio nega propina e diz que pedirá acesso às delações da Odebrecht 

Segundo a edição de Veja deste fim de semana, executivo da empreiteira afirmou que senador recebeu recursos em conta nos Estados Unidos

Por: Zero Hora
01/04/2017 - 21h52min | Atualizada em 01/04/2017 - 21h52min
Aécio nega propina e diz que pedirá acesso às delações da Odebrecht  Geraldo Magela/Agência Senado/Divulgação
Foto: Geraldo Magela / Agência Senado/Divulgação  

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) anunciou neste sábado que pedirá ao ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o acesso às delações dos executivos da Odebrecht. O pronunciamento do parlamentar é uma reação às denúncias apresentadas neste fim de semana pela revista Veja de que ele teria recebido propina da empreiteira. Ele nega ter recebido recursos ilícitos da empresa. 

"Para que a verdade fique clara, estou peticionando ao ministro Fachin que permita acesso às delações premiadas para que eu possa me defender", escreveu.

Segundo a publicação, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Junior afirmou em delação que a construtora baiana fez depósitos para o senador em conta sediada em Nova York e operada pela irmã do senador, Andrea Neves.

Leia também
Ex-executivo da Odebrecht delata propina a Aécio
STF arquiva citação de Sérgio Machado sobre Aécio Neves
Aécio diz que recursos transferidos ao PSDB em 2014 não eram caixa 2

De acordo com a BJ, como é conhecido o delator, os valores foram pagos como "contrapartida" ao atendimento de interesses da construtora em empreendimentos como a obra da Cidade Administrativa do governo mineiro, realizada entre 2007 e 2010, e a construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, no Estado de Rondônia. A revista não cita valores. 

Na delação, BJ falou da conta e dos repasses. As informações foram homologadas pelo Supremo Tribunal Federal, mas ele ainda precisa comprovar o que disse.

Ainda de acordo com Veja, BJ era amigo de Aécio e frequentemente era visto jantando com o senador no Rio. Seis dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República pediu para abrir com base nas delações da empreiteira se referem a Aécio. 

Por meio de sua assessoria, Aécio Neves disse que a acusação é "falsa e absurda". "Se confirmadas tais declarações - vazadas ilegalmente -, elas precisam necessariamente de comprovação, dada a gravidade de seu conteúdo", afirmou.

Leia as últimas notícias de ZH

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.