Gente

Morre o arquiteto João Otávio, filho de Leonel Brizola

Internado desde a quarta-feira em um hospital em São Paulo, arquiteto de 64 anos lutava contra um melanoma 

Por: Zero Hora
23/07/2017 - 22h07min | Atualizada em 24/07/2017 - 01h01min
Morre o arquiteto João Otávio, filho de Leonel Brizola Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS  

Filho de Leonel Brizola, o arquiteto João Otávio Brizola, 64 anos, morreu na noite de sábado (22) em São Paulo. Lutando contra um melanoma (câncer de pele), ele estava internado em um hospital da cidade desde a última quarta-feira (19). 

Seu corpo foi velado e cremado neste domingo na capital paulista. As cinzas devem ser levadas para o Rio de Janeiro, onde ele passou parte da vida.

Fátima de Abreu Brizola, ex-mulher de João Otávio, e mãe do filho do casal, João Eduardo, 30 anos, lamentou a morte do arquiteto. Entre namoro e casamento, eles ficaram juntos 18 anos e estavam separados há 24 anos. Fátima disse que os dois sempre mantiveram um bom convívio após o rompimento da relação e eram grandes amigos:

— A morte do João Otávio foi impactante. Eu e meu filho não esperávamos. Estamos muito tristes e abalados. Ele sempre foi um homem digno e com muita nobreza de caráter. Meu convívio com ele sempre foi carinhoso.

Segundo Fátima, João Otávio descobriu a doença há dois anos e, desde então, vinha realizando tratamento, mas nos últimos meses seu quadro clínico agravou. 

Leia mais
João Otávio autografa livro sobre seu pai
João Otávio: "Meu pai sempre preferiu ficar no ostracismo a fazer composições"

João Otávio era o único filho de Brizola que sempre fugia dos holofotes e da imprensa. Ao contrário de seus dois irmãos, José Vicente — o mais velho, morto em 2012 — e Neuzinha — a mais nova, morta em 2011 —, nunca brigou ou desafiou publicamente o pai. Era o filho com quem Brizola, nos últimos anos de vida, vinha conversando, reavaliando decisões políticas, como se estivesse fazendo um inventário de sua trajetória pública e privada. Como resultado dessa relação, João Otávio lançou o livro Minha Vida com meu pai, Leonel Brizola, uma obra em que relembra a convivência com o líder político. A sessão de autógrafos em Porto Alegre ocorreu no ano passado. 

(Ser filho de Brizola) ajudou no crescimento profissional. Soube aproveitar as oportunidades que me foram dadas. Mas tem um legado desagradável de ser filho de um político de esquerda, particularmente dele. Tudo o que se fala e se falou de Brizola é política pesada. É política a ferro e fogo. Ou amavam ou detestavam ele. Era assim no Rio e no Rio Grande do Sul. Ainda que no Rio Grande do Sul ele tenha se transformado em figura histórica respeitada já anos antes de morrer. O que não acontecia no Rio. O legado negativo é toda a falta de ter um pai, a dificuldade de relacionamento, associada a cobranças e ameaças para que fôssemos perfeitos – contou em entrevista a Zero Hora em 2014, enquanto preparava o livro. 

Pai de João Eduardo, João Otávio vivia nos últimos anos entre o Rio de Janeiro e o Uruguai, onde administrava a fazenda da família e uma academia de ginástica. Era incentivador da carreira política dos sobrinhos, a deputada estadual gaúcha Juliana Brizola, o vereador do Rio Leonel Brizola Neto e o ex-ministro Carlos Daudt Brizola (conhecido por Brizola Neto). Os três são filhos de José Vicente.

Leia abaixo o post em que a deputada Juliana Brizola lamenta a morte do tio:


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.