Contrabando

PF apreende cobras e lagartos em malas de passageiro no aeroporto de Guarulhos

Animais exóticos estavam em condições precárias, envoltos em meias femininas e dentro de potes plásticos encontrados nas bagagens

Por: Zero Hora
15/09/2017 - 15h28min | Atualizada em 15/09/2017 - 15h32min
PF apreende cobras e lagartos em malas de passageiro no aeroporto de Guarulhos Divulgação/Polícia Federal
Foto: Divulgação / Polícia Federal  

A Polícia Federal (PF), em ação conjunta com a Receita Federal, apreendeu, nesta sexta-feira (15), 18 cobras e 12 lagartos com um passageiro que desembarcou de um voo internacional procedente de Madri, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. O homem foi selecionado para ter as bagagens inspecionadas por servidores da Receita Federal nos canais alfandegários. 

O brasileiro de 38 anos chegou em um voo que saiu da Espanha e fez escala em Lisboa, Portugal. Os animais exóticos estavam em condições precárias, envoltos em meias femininas e dentro de potes plásticos encontrados dentro das malas. Além disso, não havia documentação legal que autorizasse o transporte ou a entrada deles no país.

 PF apreende cobras e lagartos no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos
Foto: Divulgação / Polícia Federal

Leia mais
Roubo em loja de carros em Cachoeirinha termina com assaltante baleada Homem suspeito de matar namorada em Gravataí deve se entregar à polícia
Polícia apreende celulares usados para compartilhar informações sobre blitze em Vacaria 

A PF realizou a prisão em flagrante do homem pelos crimes de contrabando, maus-tratos aos animais, introdução de espécime animal no país sem parecer técnico oficial favorável e licença, receptação e falsidade ideológica. Ele também terá de pagar, pela posse dos animais, multa de pelo menos R$ 100 mil ao Ibama.

 PF apreende cobras e lagartos no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos
Foto: Divulgação / Polícia Federal

Durante a investigação, foram encontrados publicações na internet em que o homem fazia anúncios de animais semelhantes. Aos policiais, ele disse que não adquiriu os répteis para comércio e que os havia comprado em Portugal, pagando por eles cerca de 800 euros (aproximadamente R$  2.988).