Aquecimento global

Nordeste do país teve a pior seca em 50 anos, de acordo com relatório

Organização Meteorológica Mundial divulgou dados de mudanças climáticas no planeta

24/03/2014 | 12h31
Nordeste do país teve a pior seca em 50 anos, de acordo com relatório Ver Descrição/Agencia RBS
Hemisfério Sul foi especialmente quente em 2013 segundo o estudo Foto: Ver Descrição / Agencia RBS

O ano de 2013 demonstrou mais uma vez o impacto das secas, ondas de calor, inundações e ciclones tropicais no mundo, segundo o relatório Declaração sobre o Estado do Clima, da Organização Meteorológica Mundial (OMM). Os dados mostram o impacto no nordeste brasileiro, que sofreu a pior seca dos últimos 50 anos.

Os números são coletados desde 1961 e demonstraram também que a Argentina teve o segundo ano mais quente e a Austrália o primeiro desde então. O hemisfério sul foi especialmente quente em 2013, de acordo com os dados. Entre 13 dos 14 anos mais quentes registrados no mundo ocorreram no século 21 e cada uma das últimas três décadas têm sido mais quentes do que a anterior.
 
— Fenômenos que ocorrem naturalmente,  como erupções vulcânicas ou eventos como El Niño e La Niña sempre contribuíram para moldar o nosso clima, influenciando as temperaturas ou os desastres provocados, como secas e inundações. Mas muitos dos eventos extremos de 2013 foram condizentes com o que seria de se esperar como resultado das mudanças climáticas induzidas pelo homem. Vimos precipitações mais pesadas, o calor mais intenso, e mais dano de tempestades e inundações costeiras como resultado da elevação do nível do mar — disse o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud.

Os registros realizados pela entidade ajudariam a comprovar com o auxílio de números os efeitos do aquecimento global no planeta.

— O aquecimento dos oceanos aumentou em profundidades menores. Mais de 90% do excesso de energia acumulado por gases do efeito de inverno se armazena nos oceanos. Estes gases alcançaram níveis recordes, o que significa que nossa atmosfera e nossos oceanos continuarão esquentando nos próximos anos. As leis da física não são negociáveis — destacou Jarraud.


Veja alguns destaques da publicação:

— O tufão Haiyan devastou partes da região central nas Filipinas.
— As temperaturas no hemisfério sul foram muito quentes, o que resultou em uma onda de calor generalizado: a Austrália experimentou um recorde de calor o ano todo, enquanto Argentina e Nova Zelândia tiveram o segundo e terceiro ano mais quente já registrado nestes países.
— Um ar gelado varreu a Europa e sudeste dos Estados Unidos.
— Na África, uma seca severa afetou Angola, Botswana e Namíbia.
— Fortes chuvas de monção provocaram inundações na fronteira entre Índia e Nepal. Rússia, nordeste da China, Sudão e Somália também tiveram inundações.
— Uma grande seca afetou o sul da China
— O Nordeste do Brasil registrou sua pior seca em 50 anos.
— Na Europa, chuvas fortes provocaram enchentes na Áustria, República Checa, Alemanha, Polônia e Suíça.
— Israel, Jordânia e Síria foram atingidos por uma queda de neve sem precedentes.
— As concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera alcançaram níveis máximos sem precedentes.
— Os oceanos atingiram um novo recorde de alto nível do mar.
— A extensão de gelo do mar Antártico atingiu o pico de registros diários.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.