Crime em Porto Alegre

VÍDEO: imagens mostram mulher com dupla que executou jovem no aeroporto Salgado Filho

Atiradores já foram identificados. Ao todo, cinco pessoas estão envolvidas na morte de Marlon Roldão Soares, em Porto Alegre

22/09/2016 - 16h10min | Atualizada em 22/09/2016 - 21h42min

A investigação sobre o assassinato de Marlon Roldão Soares, 18 anos, no Terminal 2 do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, apontou o envolvimento de mais três pessoas no crime além dos dois atiradores. A principal delas é uma mulher ainda não identificada que teria indicado o alvo da execução. Imagens mostram que ela chega ao aeroporto em um Corolla, guiado por um homem, ao mesmo tempo em que chega o Cobalt – veículo utilizado pelos autores dos disparos para chegar e fugir do local.

Os atiradores foram identificados como sendo Diego da Silva Severo, 25 anos, com antecedentes por tentativa de homicídio, ameaça e tráfico de drogas, e um adolescente de 16 anos também com antecedentes por atos infracionais. A Justiça já expediu mandado de prisão contra Diego e pedido de internação contra o adolescente. Ambos são considerados foragidos. 

Diego da Silva Severo, 25 anos, foi apontado como um dos atiradores Foto: Divulgação / Polícia Civil

Motivação ainda é mistério

Segundo o delegado Adriano Melgaço, a motivação do crime ainda não está clara, pois Marlon não tinha antecedentes e nenhum vínculo criminoso que pudesse justificar a execução dele. Alguns dos amigos que o acompanhavam no aeroporto tinham passagens por atos infracionais, mas nada que pudesse relacioná-los ao crime organizado. Por isso, a prisão dos autores é considerada fundamental para esclarecer o crime. 

— Esse momento é prematuro para definir o motivo do crime. A presença dessa mulher na cena pode indicar que a motivação tenha partido dela, pode ter sido uma execução errada dentro daquele grupo, mas só vamos descobrir no decorrer das investigações — afirmou Melgaço.

O delegado não descarta a possibilidade de o crime ter sido uma retaliação em função de rivalidade de grupos criminosos que dominam o bairro Bom Jesus, onde moram os autores do assassinato, e a Vila Jardim, onde mora o grupo de amigos atacado no aeroporto. Marlon era morador da Vila Jardim, mas havia se mudado para a Vila Ipiranga fazia alguns anos.A hipótese de crime passional divulgada no início das investigações também não está descarta, uma vez que Marlon teria se relacionado com uma jovem da Bom Jesus. 

Leia mais
Autoridades vão definir segurança no aeroporto Salgado Filho
Jovem executado no aeroporto pode ter sido morto por engano
Câmeras mostram execução no aeroporto Salgado Filho; assista ao vídeo

Caçada aos suspeitos

Na madrugada desta quinta-feira, a polícia cumpriu cinco mandados de busca e apreensão nas casas dos suspeitos. 

— Conseguimos buscar alguns itens que vão ser de interesse da investigação e, embora fossem as casas utilizadas pelos autores, eles não foram encontrados. Mas fizemos uma extensa busca no território de origem deles — destacou Melgaço.

Entenda o caso

Marlon Roldão Soares foi assassinado com mais de 15 tiros, no dia em que completou 18 anos, no saguão do Terminal 2 do aeroporto Salgado Filho, às 11h12min de segunda-feira. Ele integrava um grupo de amigos, na maioria adolescentes, que estava se despedindo de um colega que iria viajar. As imagens das câmeras de monitoramento do aeroporto flagraram o momento em que dois homens se aproximaram do grupo e mataram o jovem à queima-roupa. Eles fugiram em um Cobalt prata que os esperava na saída do terminal. 

Marlon foi sepultado na tarde de terça-feira, no Cemitério Jardim da Paz. O velório foi acompanhado por amigos e familiares e foi marcado por comoção. Um tio que conversou com a reportagem disse que a família estava em choque e que não sabe o que pode ter motivado o crime. 


Leia as últimas notícias de Polícia

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.