Paralisação no Espírito Santo

PGR estuda possibilidade de requerer a federalização do crime de motim, diz Janot

"O MPF (...) está dando sua contribuição para resolver o problema de forma profissional, serena e equilibrada", afirmou o procurador-geral da República

Por: Estadão Conteúdo
11/02/2017 - 16h36min | Atualizada em 11/02/2017 - 16h36min
PGR estuda possibilidade de requerer a federalização do crime de motim, diz Janot EVARISTO SA/AFP
Foto: EVARISTO SA / AFP  

Após reunião com representantes do Ministério Público do Espírito Santo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, divulgou uma nota na tarde deste sábado, na qual anuncia a possibilidade de postular a federalização de crimes, como o de motim.

Na mensagem, a Procuradoria-Geral da República menciona "o grave comprometimento da ordem pública" em virtude das mortes, falta de transporte público, fechamento de órgãos públicos e comércio, "além do impasse gerado pela manutenção da paralisação e aquartelamento das forças estaduais".

Leia mais
Manutenção da greve no Espírito Santo preocupa governo federal
Ministro garante tropas federais em Vitória até final da greve da PM
Governo anuncia acordo para encerrar paralisação da PM no Espírito Santo

Janot esteve neste sábado com membros do Ministério Público Federal e Estadual, além de representantes dos governos estadual e federal para discutir soluções que ponham fim a paralisação da Polícia Militar. O procurador-geral diz que acredita na construção de uma solução pacífica e ressalta que as instituições demonstraram "que são capazes de dar essa resposta à sociedade".

— A reunião de hoje (sábado) demonstra que as instituições estão trabalhando para garantir a ordem pública. O MPF, por meio da Procuradoria-Geral da República e da Procuradoria da República no Espírito Santo, está dando sua contribuição para resolver o problema de forma profissional, serena e equilibrada — disse o procurador-geral.

A crise na segurança pública do Espírito Santo já deixou 137 mortos em oito dias. Mesmo com o acordo fechado na noite de sexta-feira, entre o governo estadual e as associações da PM, mulheres dos oficiais continuaram acampadas em frente ao Quartel Central da corporação em Vitória, impedindo a entrada e a saída dos policiais.

Leia as últimas notícias de Polícia

*Estadão Conteúdo

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.