Região Norte

Menina viaja cem quilômetros para denunciar abusos de padrasto

Adolescente relatou que a mãe se negava a acreditar nas queixas que fazia

18/04/2017 - 23h23min | Atualizada em 18/04/2017 - 23h26min

Para denunciar abusos sexuais do padrasto, uma menina de 12 anos viajou de carona cerca de cem quilômetros entre duas cidades no norte gaúcho. Ela deixou Marau, onde morava com a mãe e o companheiro dela, no início da tarde de segunda-feira e chegou ao Conselho Tutelar de Soledade, onde se encontrou com uma madrinha, por volta das 17h. A garota contou que os abusos começaram quando ela tinha sete anos e que a mãe se negava a acreditar nas queixas que fazia. Aconselhada pela madrinha, moradora de Soledade, decidiu procurar ajuda especializada.

— Ela chegou aqui (em Soledade) bem abalada, mas hoje (terça-feira) já está melhor — disse a conselheira Noeli Campos de Moraes.

Leia mais
Força-tarefa da Polícia Civil reduz roubos a coletivos em Porto Alegre
Indiciados 29 integrantes de quadrilha que roubava 10 carros por dia em Porto Alegre
Comunidade instala câmeras em Charqueadas, mas burocracia impede monitoramento

A menina foi levada até nesta terça-feira à Delegacia de Polícia, onde prestou depoimento, e seguiu para realização de exames. Ela passou a ser acompanhada também por um psicólogo e deve permanecer em Soledade por tempo indeterminado, como medida protetiva.

Segundo Noeli, ao saber que a filha estava no Conselho Tutelar, a mãe entrou em contato dizendo que registraria ocorrência policial por fuga antes de buscá-la. A mãe, então, foi orientada de que a menina não voltaria para casa imediatamente. 
O Conselho Tutelar de Marau foi acionado pelo de Soledade para fazer uma visita na casa da mãe e analisar a situação. O caso agora passa a ser investigado pela Polícia Civil, com acompanhamento de conselheiros tutelares das duas cidades.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.