Em Alvorada

Preso homem suspeito de contratar helicóptero para sequestro na Serra

Erick Aires Müller, ao deparar com a casa cercada pelos agentes, tentou se camuflar em uma poça de lama

18/05/2017 - 19h44min | Atualizada em 18/05/2017 - 20h22min
Preso homem suspeito de contratar helicóptero para sequestro na Serra Polícia Civil/Divulgação
Foto: Polícia Civil / Divulgação  

A Polícia Civil prendeu Erick Aires Müller, 24 anos, suspeito de ter contratado e roubado um helicóptero da empresa Tri Táxi Aéreo, em Canela, no dia 8 abril, possivelmente para resgatar presos de alguma das penitenciárias de Charqueadas. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Alvorada recebeu denúncia, na tarde desta quinta-feira, de que Müller estaria em uma casa na Rua São Pedro, em Alvorada. 

Leia mais
Polícia pretende ouvir dono do sítio onde pousou helicóptero roubado
As perguntas ainda sem respostas do caso do helicóptero roubado
Polícia investiga membros de facções treinados para pilotar helicóptero roubado


Às 17h15, os policiais chegaram ao endereço indicado e conseguiram prender o suspeito, que ainda tentou fugir pelos fundos da residência com uma pistola 9mm municiada. Ao deparar com a casa cercada pelos agentes, tentou se camuflar deitando dentro de uma poça de lama. À delegada Larissa Fajardo, ele chegou a confessar o crime.

— Em um primeiro momento, ele admitiu ter participado do roubou do helicóptero. Depois não quis mais falar nada — comentou a delegada.

Na mochila que ele carregava durante a tentativa de fuga, havia munições e algumas toucas ninjas. Na casa, a polícia encontrou coletes balísticos e uma carabina. A mulher dele também foi detida. Ele será encaminhado ao Presídio Central de Porto Alegre e responderá por sequestro, roubo e porte ilegal de armas.

Foto: Polícia Civil / Divulgação

No dia 8 de maio, a Polícia Civil deflagrou em Porto Alegre, Alvorada e em Caxias do Sul uma operação para prender integrantes da quadrilha investigada pelo sequestro do piloto e pelo roubo do helicóptero. No bairro Stella Maris, em Alvorada, foi presa no condomínio Moradas Club, de forma temporária, uma mulher envolvida no esquema que estaria por trás de possível resgate de presos em Charqueadas.

A integrante da quadrilha foi reconhecida pelo piloto, por meio de uma foto, como uma das pessoas que estava no sítio onde o helicóptero pousou e foi encontrado pela polícia. A partir deste reconhecimento, os delegados João Paulo de Abreu e Joel Wagner solicitaram sua prisão temporária. A mulher, de 27 anos, não teve o nome revelado.

De acordo com as investigações, Müller alugou o helicóptero e depois atraiu o piloto até o sítio. Troca de mensagens pelo Whatsapp comprovaram o envolvimento dele no caso.

Apresentando-se como Willian, ele contratou o aluguel do helicóptero da empresa Tri Táxi Aéreo, em Canela, na Serra. A aeronave modelo Bell Jet Ranger foi contratada por R$ 5 mil — valor 10 vezes maior do que uma hora de voo comercial —, pagos em dinheiro. Ele alegou que se tratava de um passeio especial, como presente de 30 anos de casamento a seus pais. 

Foto: Cid Martins / Rádio Gaúcha
Foto: Cid Martins / Rádio Gaúcha

Veja a cronologia de como o roubo ocorreu:

Última semana de março
Um homem apresentando-se como William fez contato telefônico com a empresa Tri Táxi Aéreo, de Canela, interessado em cotar preços para um fretamento. Depois disso, as conversações seguiram pelo WhatsApp. William, conforme as investigações, seria o nome utilizado por Erick Aires Müller

Sexta, 7 de abril
Por telefone, o homem acertou a viagem para o dia seguinte. O plano de voo era partir de Canela, pousar em uma propriedade rural de Triunfo e, nesta localidade, sobrevoar uma propriedade rural com os pais de William. Era um presente de 30 anos de casados.

Sábado, 8 de abril
— 10h30min

William chega na empresa, paga os R$ 5 mil em dinheiro e apresenta a documentação falsa para autorizar a viagem.

— 11h
Helicóptero decola de Canela.

— 11h30min
Aparelho pousa em uma propriedade rural na localidade de Vendinha, em Triunfo. Neste momento, o roubo da aeronave foi anunciado e dois homens, supostamente armados com fuzis, interpelaram o piloto. Um deles fez perguntas técnicas a ele.

— 11h45min
Helicóptero faz um pequeno sobrevoo na propriedade rural, já sem o piloto da empresa, que estava mantido preso em um banheiro do sítio.

— 12h
Criminosos começam uma "transformação" na aeronave. Arrancam as portas e equipamentos de localização, como o GPS. Eles provavelmente carregam as cordas e cintas que seriam usadas no plano de fuga.

— 13h30min
Empresa percebe que há algo errado e tenta contato telefônico com o piloto.

— 14h
Piloto retorna a ligação da empresa. Àquela altura, ele havia sido libertado na Vila Dique, no bairro Sarandi, zona norte de Porto Alegre. Procura a polícia e iniciam as buscas.

— 16h
Policiais do Batalhão de Aviação da Brigada Militar localizam o helicóptero em Triunfo. Ninguém estava no local.

Domingo, 9 de abril
Polícia divulga imagens do homem apontado como contratante do voo. Peritos fazem uma varredura minuciosa no helicóptero. Além da busca de digitais, a polícia espera ter resultados de possíveis materiais genéticos deixados nas cordas e outros objetos apreendidos dentro da aeronave.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.