Tiroteio

Assassinato de três pessoas em Guaíba pode ter sido ação do tráfico de drogas 

Bandidos armados arrombaram porta e executaram as vítimas dentro de casa

24/07/2017 - 11h55min | Atualizada em 24/07/2017 - 11h55min
Assassinato de três pessoas em Guaíba pode ter sido ação do tráfico de drogas  Polícia Civil/
Porta da casa foi arrombada a chutes pelos bandidos, que foram abriram fogo quando viram os moradores Foto: Polícia Civil  

A Polícia Civil acredita que a execução de três pessoas dentro de uma casa no bairro Colina, em Guaíba, na Região Metropolitana, na madrugada de domingo (23), tenha sido uma ação de traficantes. A forma do crime, o material encontrado na residência e o relato de vizinhos conduz a investigação neste sentido.

— Encontramos maconha e balança. Além disso, os vizinhos nos contaram que fazia um mês que eles (vítimas) estavam ocupando o local — comenta a delegada Sabrina Dóris Teixeira, responsável pelo inquérito. 

Dois foram mortos em um quarto e o terceiro nos fundos da casa. Até agora, foram identificados apenas Jaime José da Silva, de 37 anos, sem antecedentes criminais, e Doralino Pereira da Silva Neto, 32 anos, com antecedente por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A polícia aguarda o reconhecimento da terceira vítima pelo Instituto Médico Legal. 

Leia mais:
Polícia prende suspeitos de ameaçar família de vítima de homicídio em Guaíba 
Dois homens são mortos a tiros em Guaíba
Grupo armado invade casa e executa homem em Porto Alegre

A Polícia Civil foi comunicada do ocorrido somente pela manhã de domingo, mas os vizinhos ouviram os tiros entre 4h e 4h30min. Pelo menos dois atiradores arrombaram a porta da casa e pegaram as vítimas desprevenidas. Elas dormiam no momento em que eles entraram. Os assassinos abriram fogo com pistolas .40 e 9 milímetros, e depois fugiram em pelo menos um carro. Eles ainda não foram localizados. 

Chamou a atenção da polícia que a casa de madeira estava revirada quando os investigadores chegaram. 

— Não foi só para matar, eles procuravam por algo também. Possivelmente podem ter levado armas e drogas — desconfia a investigadora.

Celulares foram encontrados no local do crime e devem ser analisados, para ver se há algum conteúdo que auxilie a polícia a identificar os envolvidos. A equipe de investigação também pretende traçar um histórico das vítimas e conversar com familiares. O objetivo é entender para quem eles trabalhavam e o motivo exato do ataque. Por enquanto, não há suspeitos.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.