Fuga

Quem é a mulher que já esteve na lista da Interpol e escapou da cadeia em Caxias do Sul

Sônia Regina Gomes, 40 anos, era apontada pela Polícia Federal como uma das principais distribuidoras de maconha para a Serra e Região Metropolitana 

24/07/2017 - 09h57min | Atualizada em 24/07/2017 - 12h39min
Quem é a mulher que já esteve na lista da Interpol e escapou da cadeia em Caxias do Sul Divulgação/Divulgação
Alvo de operação da PF, Sônia foi apontada como grande distribuidora de maconha da Serra e Região Metropolitana Foto: Divulgação / Divulgação  

As autoridades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná estão em alerta desde a tarde de domingo (23), quando a detenta Sônia Regina Gomes, 40 anos, aproveitando a movimentação do dia de visitas, fugiu ao saltar o muro do Presídio Regional de Caxias do Sul (PICS). Apontada pela Polícia Federal como uma das principais distribuidoras de maconha da Serra e da Região Metropolitana, Sônia já esteve na lista das 10 brasileiras mais procuradas pela Interpol. 

Leia mais
Operação da Polícia Federal apreende 4,7 toneladas de maconha no sul do país
Procurada da Interpol presa na Serra era moradora de Caxias do Sul

Natural de Jacinto Machado em Santa Catarina, na sua ficha de procurada pela polícia internacional, divulgada ainda em 2013, quando estava foragida, constavam três números de identidade. Cada um fornecido por um dos estados da Região Sul. Naquele ano, Sônia foi condenada pela Justiça gaúcha a 14 anos e cinco meses de prisão por tráfico de drogas. Ela ainda tem pena a cumprir até 2027 e estava no regime fechado em Caxias do Sul.

Em 2012, Sônia Gomes foi considerada um dos principais alvos da chamada Operação Santa Fé, desencadeada em conjunto entre a Polícia Federal, o Ministério Público Estadual e a Brigada Militar. Na ocasião, era investigado um carregamento de 2,3 toneladas de maconha vindas do Paraguai, a partir de Foz do Iguaçu, com destino a Caxias do Sul, na Serra. A droga era transportada em quatro carros. Conforme a investigação, Sônia comandava o comboio. A Polícia Federal apreendeu a droga e os comparsas dela, mas a traficante conseguiu escapar.

Foto: Reprodução / Interpol

No total, a operação tirou de circulação 4,7 toneladas de maconha. Conforme o relatório da Polícia Federal, parte da droga que chegava à cidade da Serra era destinada à Região Metropolitana e à Serra catarinense.

Pelo menos desde 2010 ela era investigada por seus contatos no Paraguai e um carregamento chegou a ser interceptado em Santa Catarina, mas Sônia não foi presa. Ela só foi presa em outubro de 2013 ao ser abordada em uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-116, em São Marcos. Estava com documentos falsos e R$ 3,8 mil em dinheiro.

Aos policiais, a traficante alegou que era vendedora de roupas trazidas do Paraguai e que estava na região para cobrar alguns clientes. Disse que havia pago R$ 600 pelos documentos falsos em Dois Irmãos. A suspeita da polícia é de que ela estivesse acompanhando mais um dos comboios de maconha que vinha de Foz do Iguaçu.

A fuga de domingo foi a segunda na trajetória de Sônia Regina Gomes. Em 2012, ela já havia escapado da cadeia em Foz do Iguaçu.

Operação Santa Fé, em 2012, apreendeu diversos carregamentos da quadrilha liderada por Sônia Gomes Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.