Operação Carne Fraca

Estados com maior abate de bovinos estão preocupados

Em 2016, Mato Grosso foi responsável por 15,4% das 29,67 milhões de cabeças de bovinos abatidas no Brasil. Em segundo lugar, Mato Grosso do Sul teve 11,1% de participação nesta produção

Por: Estadão Conteúdo
18/03/2017 - 17h57min | Atualizada em 18/03/2017 - 17h57min

Os governos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, os dois principais Estados no abate de bovinos do País, demonstraram preocupação em relação às possíveis consequências da operação Carne Fraca, da Polícia Federal, no consumo interno e externo de proteínas. O governo de Mato Grosso realizou ainda na sexta-feira uma reunião emergencial com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), representantes do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea-MT) e do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac).

Leia mais:
Temer convoca reuniões com ministros e representantes de frigoríficos 
Carne Fraca: como produtos adulterados podem afetar a saúde
PF mira gigantes do setor de alimentos e combate venda de carne adulterada

Os representantes devem se reunir novamente na próxima semana com todo o setor para "tratar das ações pertinentes que devem ser tomadas para a preservação dos mercados internacionais", afirmou o governo.

Em nota, a Sedec disse também que os reais impactos ainda não podem ser totalmente avaliados, "pois dependem da postura dos países compradores da carne brasileira". 

Em Mato Grosso do Sul, o governo do Estado disse que está preocupado com a repercussão negativa que a operação pode surtir no mercado consumidor. "Como um dos maiores produtores e exportadores de carne bovina do país, Mato Grosso do Sul pode ser seriamente prejudicado caso os fatos não sejam claramente esclarecidos e pairem dúvidas nos consumidores", disse o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

O secretário criticou a forma como a operação está sendo divulgada. 

— A forma de divulgação das notícias tem apresentado o problema maior que ele é — disse. 

Ele, no entanto, defendeu a tomada de medidas rápidas para dar segurança e para que o Brasil não corra o risco de perder mercados internacionais. O secretário sul-mato-grossense deve ir para Brasília na terça-feira para buscar informações adicionais junto ao Ministério da Agricultura e verificar quais ações podem ser adotadas no Estado "para que o Mato Grosso do Sul, como importante exportador, não tenha impactos negativos na cadeia produtiva bovina".

Em 2016, Mato Grosso foi responsável por 15,4% das 29,67 milhões de cabeças de bovinos abatidas no Brasil. Em segundo lugar, Mato Grosso do Sul teve 11,1% de participação nesta produção.

Leia mais

Leia as últimas notícias de Política

*Estadão Conteúdo

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.