Política

Denúncia contra Temer aumenta possibilidade de PSDB deixar base aliada, diz líder do partido

Ricardo Tripoli mostrou preocupação com a capacidade do presidente de manter governabilidade após apresentação da denúncia de Janot

Por: Estadão Conteúdo
28/06/2017 - 17h54min | Atualizada em 28/06/2017 - 18h36min

Ao lado do prefeito de São Paulo, João Doria, o líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (SP), disse que a denúncia apresentada contra o presidente Michel Temer aumenta a possibilidade de o partido deixar a base aliada do governo.

Segundo Tripoli, o partido está avaliando a questão "diariamente", mas que a vontade de integrantes da bancada de permanecer na base é "menor" do que quando a decisão foi tomada na reunião da Executiva da sigla, em 12 de junho. 

Leia mais:
Ministro Fachin decide enviar denúncia contra Temer à Câmara
OAB do Rio investiga conduta de procurador citado por Temer
Renan Calheiros deixa liderança do PMDB

— Se você me perguntasse hoje, eu diria que a condição é muito menor do que foi naquela reunião nossa — afirmou.

O líder tucano mostrou preocupação com a capacidade de o peemedebista manter a governabilidade após a apresentação da denúncia pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 

— Se houver a condição de governabilidade, nós daremos apoio ao Estado brasileiro, não importa qual o governo — disse.

Tripoli também afirmou que vai dar "liberdade" para os integrantes do partido votarem como quiserem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde a denúncia contra Temer vai começar a tramitar. 

— Não há nenhum motivo para a substituição de qualquer um deles. Eu disse, desde o início, que eles votariam de acordo com a consciência deles. Eu espero que eles tenham uma única posição, mas eles terão liberdade — afirmou.

Doria

Assim como nas declarações que deu mais cedo, Doria adotou o tom de cautela e afirmou que uma eventual saída de Temer poderia "prejudicar fortemente a economia brasileira" e aumentar o número de desempregados, que hoje já alcança a casa dos 14 milhões. 

— Eu não defendo o presidente Michel Temer, eu defendo o País — disse.

O prefeito de São Paulo cumpre uma extensa agenda em Brasília nesta quarta-feira (28). Após se reunir com os presidente da Câmara e do Senado pela manhã, afirmou que o juízo sobre Temer não cabia à opinião pública, mas sim ao Poder Judiciário.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.