Colunistas

Clara Averbuck: não dá na cara dela!

Naiara, você pode achar isso tudo uma tremenda besteira, afinal, é "só uma música". Uma música cantada mil vezes normaliza comportamentos e deixa parecendo que tudo bem.

02/12/2016 - 18h31min | Atualizada em 02/12/2016 - 18h31min
Clara Averbuck: não dá na cara dela! Naiara Azevedo Oficial/Divulgação
A cantora Naiara Azevedo Foto: Naiara Azevedo Oficial / Divulgação  

Oi, miga,

eu sei que encontrar seu marido no motel em que vocês foram na lua de mel parte o mais duro dos corações, mas não é insinuando que a outra moça é uma puta que você vai resolver a situação. Pode até parecer que você saiu por cima, mas miga: quem disse que ela sabia que o sujeito era casado? Seu compromisso não era com ele? Quem quebrou sua confiança? E se ela também estivesse apaixonada por ele, e se o traste ficasse prometendo largar a mulher (você!) pra ficar com ela? E se o coração dela também se partiu? Não dá na cara dela não, miga. Quando queremos curar nosso desamparo humilhando uma outra pessoa, ainda mais outra mulher, estamos apenas tapando um buraco que vai continuar lá.

Sabe, estamos nos esfalfando para desconstruir a competição feminina. Enquanto os homens são criados para dominar o mundo e tratar mulher feito posse, nós brincamos com bonecas que sequer parariam em pé de tão desproporcionais que são seus corpos e sonhamos com casamento, estabilidade, amorzinho, somos levadas a acreditar que só valemos alguma coisa se houver um macho ao lado. Afinal, o que é uma mulher sem homem, não é?

Dica: é um indivíduo perfeitamente capaz. Mas, para isso, ainda precisamos conquistar uma série de direitos que ainda não nos foram dados. Não é aceitável que mulheres ganhem menos do que os homens exercendo as mesmas funções, e também não é aceitável que o salário de um homem branco seja 40% maior do que o de uma mulher negra.

Então não dá na cara dela não, amiga. E nem chama de puta. Aliás, e se ela fosse prostituta?

A culpa seria dela ou do cara que a contratou?

Não me entenda mal. Seu sucesso-sofrência não sai da minha cabeça, muita gente se identifica, eu mesma já pensei assim e culpei a outra mulher em meu momento corno. Mas hoje, anos depois, sei que se fosse para dar na cara de alguém não seria na dela. Claro que o sentimento é legítimo, querer tacar fogo em tudo também, mas passou. Virou canção.

Agora, vamos pensar pelo lado positivo? Esse homenzinho fez isso, levou um pé na bunda, você ficou sem chão mas escreveu um hit e está aí bombando enquanto ele foi eternizado como um babaca traidor. Há anos que os homens são desculpados por suas traições, porque ora, eles têm necessidades, né? Necessidades que são perfeitamente aceitas na sociedade. A traição do homem é frequentemente perdoada e a mulher ou fica como vagabunda destruidora de lares ou acham uma justificativa para culpar a traída do tipo "quem não dá assistência perde pra concorrência", como se fosse nossa obrigação viver para satisfazer os outros, que geralmente não sabem nem onde ficam as nossas partes e não se esforçam para nos dar prazer.

Agora pensei que a moça talvez fosse sua amiga, que ela também te sacaneou. Acredito muito na união feminina, mas também acredito que algumas mulheres não querem saber de união nenhuma e trabalham apenas na talaricagem. Mulheres são pessoas, afinal, por mais que tentem nos convencer do contrário, e algumas pessoas são simplesmente horríveis mesmo. Ainda assim: não dá na cara dela não, miga. Já atrapalhou o casalzinho mesmo, agora você já sabe que ela não é confiável. Nesse caso, você devia ter pego os cinquenta reais e ido afogar as mágoas escrevendo num guardanapo com um belo drink junto com Maiara e Maraisa. Pega esse dinheiro de volta, Naiara! Vai ficar dando troco para esse homem que não presta?

Você e outras pessoas podem achar isso tudo uma tremenda besteira, afinal, é "só uma música". Uma música repetida, tocada, cantada mil vezes normaliza comportamentos e deixa parecendo que tudo bem. Uma multidão repetindo isso tem uma enorme força.

Muita sorte na sua carreira, Naiara. Você é uma mulher poderosa e essas mixarias de homem devem estar se encolhendo de medo de você agora. Mas, como diz a Chimamanda, uma feminista negra maravilhosa: por que eu me interessaria por um homem que se sente intimidado por mim?

E pode também ser que tudo não passe de ficção. Ainda assim: não faz a moça dar na cara da outra!


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.