Bons modos

Especialistas em etiqueta dão dicas sobre o uso do smartphone

No restaurante, no trabalho, em um encontro ou em família, há momentos certos para usar a tecnologia

20/02/2013 - 14h38min
Especialistas em etiqueta dão dicas sobre o uso do smartphone Jean Schwarz/Agencia RBS
Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS  

Ok, smartphones são uma das melhores invenções dos últimos tempos. E-mails, joguinhos, notícias e ainda aquela espiadinha nas atualizações do Facebook. Tudo na palma da mão. Mas calma lá, assim como tudo que é bom, smartphones podem e devem ser usados com parcimônia e nos lugar e momentos apropriados. Com a ajuda da especialista em etiqueta Eleonora Trench, preparamos um pequeno manual de boas maneiras para ajudar você, usuário de smartphone, a não ser indelicado. No trabalho, em um encontro romântico, no restaurante ou em família, é só seguir algumas dicas para não passar vergonha com os amigos. Dá uma conferida. #Ficaadica.

NO TRABALHO

Por mais que o uso de smartphones seja muito associado ao ambiente profissional, é preciso ficar atento à maneira correta de usar o aparelho. Não ler e-mails durante uma reunião e usar toques chamativos estão entre os pecados mais cometidos. Para a consultora de imagem Eleonora Trench, é o caso de avaliar cada situação:

— Empresas mais novas, com líderes mais novos, tendem a aceitar o uso desses gadgets com mais frequência. Mesmo assim, o funcionário tem que perceber qual é a postura que ele deve manter em cada ambiente, estabelecer limites.

DICAS

- Em um almoço de negócios, o aparelho não deve estar em cima da mesa. Guarde-o no bolso ou em uma pasta.
- Nunca leia e-mails ou mensagens durante uma reunião profissional, isso pode deixar desconfortáveis os colegas que estão falando.
- Prestar atenção ao celular durante uma reunião também passa a ideia de que as pessoas na sala não são importantes.
- De preferência use o aparelho no silencioso. Se o som for necessário, escolha um toque discreto e profissional.

NO RESTAURANTE

Uma das situações mais comum em que o smartphone é utilizado em momento indevido é em restaurantes. Nada de checar o Facebook enquanto fala com o garçom ou olhar um e-mail entre uma garfada e outra.
— Ficar mexendo no smartphone mostra deselegância e falta de consideração com as outras pessoas, que se sentem ignoradas. Saia com seus amigos, não com o smartphone — comenta Eleonora.

DICAS

- Não colocar o telefone em cima da mesa.
- Se for absolutamente necessário deixá-lo sobre a mesa, vire a tela para baixo.
- Não fale ao telefone no restaurante. Se for necessário, fale baixo, respeitando o ambiente.
- Não use o smartphone enquanto fala com o garçom ou se houver outras pessoas na mesa.

EM UM ENCONTRO ROMÂNTICO

Se a situação for um encontro romântico, o smartphone pode ser tanto um aliado quanto o vilão da história. Não pega bem, por exemplo, usar aplicativos para buscar descontos em restaurantes. Se for para usar a internet para tirar uma dúvida ou mostrar alguma coisa interessante para a outra pessoa, tudo bem. Como sempre, é tudo questão de bom senso. Para Eleonora, nessa situação o smartphone não tem vez:

— Não tem sentido usar em smartphone em uma situação como essa. Tem que ficar guardado.

DICAS

- Não atenda o telefone em um encontro, a não ser que seja algo muito importante.
- Não use aplicativos para encontrar restaurantes com desconto na hora de escolher o lugar do encontro.
- Não tire fotos, nem da pessoa, nem da comida, nem do lugar.
- Usar a internet para compartilhar uma informação com a pessoa (como consultar um dado que nenhum dos dois consegue lembrar) é permitido.

EM FAMÍLIA

Em casa, em um ambiente descontraído e confortável, é comum pensarmos que o smartphone pode ser usado a qualquer momento. Porém, é importante respeitar as pessoas que não estão acostumadas com a tecnologia e vão se sentir mal se forem trocadas pelo aparelho.

 — O contato familiar é muito importante, não pode ser atrapalhado por qualquer tecnologia — pondera Eleonora.

DICAS

- Não use, de jeito nenhum, o smartphone em refeições familiares.
- Em viagens familiares, não fique tirando fotos de tudo para colocá-las nas redes sociais e interagir com pessoas que estão a milhares de quilômetros de distância.
- Na presença de pessoas mais velhas, como os avós, é importante dar mais atenção às pessoas do que ao smartphone.
- Exemplo é tudo. Os pais devem ensinar às crianças quando elas ganham um smartphone as regras para o comportamento adequado.

Boas maneiras ao smartphone
Por Celia Ribeiro

É uma pena que as pessoas, em vez de usar o celular com todos os bons serviços que ele nos presta, deixam-se escravizar por ele, atraídas pelos tantos aplicativos. Se por um lado o smartphone contribui para aproximar e até salvar vidas, seu mau uso pode ferir regras básicas da boa educação. Não é raro que numa roda de amigos, alguém vire as costas para o grupo e baixe a cabeça, garantindo uma pseudo privacidade para falar ao celular. Enquanto isto, uma conversa animada rola na sala. E é tão fácil manter as boas maneiras. É deixar o smartphone silencioso, examinando rapidamente o visor para ver se há mensagens novas e mais tarde lhe dar a devida atenção. Outra atitude anti-social — um vício mesmo - é a pessoa ficar de olho no Facebook, passar por alguns blogs, dando mais valor às atrações virtuais do que a realidade no entorno.

Hoje há um espírito de tentar reter o instante do colorido de um por do sol, por exemplo, sem desfrutá-lo diretamente. E no cinema? Não basta mais se assistir ao filme é preciso telefonar para contar a outra pessoa o que está sendo visto. Pior ainda é a luz do celular em uso, um faixo luminoso perturbando os espectadores em meio a escuridão ideal para se concentrar nas imagens no telão.

Mas há solução para manter as boas maneiras com seu smartphone em uso. É tão simples: se estiver aguardando uma chamada, peça licença e afaste-se um pouco do grupo. À mesa, não acione o celular. É curioso notar, por exemplo, que que muitos namorados, num restaurante, mantêm os smartphones em ação constante. Diante desta realidade o bem humorado maître de um restaurante de Porto Alegre comentou comigo:

— Quem sabe eles estão falando um com o outro?

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.