Morte no trânsito

Perícia em ônibus que atropelou ciclista irá analisar se houve excesso de velocidade, diz delegado

Delegado aguarda registros de câmeras, relatos de testemunhas e laudo da perícia

Atualizada em 20/03/2014 | 21h5120/03/2014 | 11h09
Perícia em ônibus que atropelou ciclista irá analisar se houve excesso de velocidade, diz delegado Tadeu Vilani/Agencia RBS
Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

A investigação da morte da ciclista Patrícia Silva de Figueiredo, atropelada por um coletivo na manhã desta quinta-feira, em Porto Alegre, deve focar na análise dos dados do tacógrafo do veículo e na busca por imagens de câmeras de segurança que possam mostrar o momento do acidente. A colisão do ônibus com a bike ocorreu por volta das 8h30min na Avenida Erico Verissimo, próximo à esquina com a Avenida Venâncio Aires.

Segundo o delegado Leandro Bodóia Araujo, plantonista da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o laudo pericial deve apontar a velocidade em que estava o veículo no momento do choque. A velocidade máxima nos corredores de ônibus, caso do acidente, é de 60 km/h e, próximo às paradas, de 30 km/h.

— Vamos colher depoimentos de testemunhas, do motoristas, os pais da vítima serão chamados. Mas o tacógrafo é que pode apontar se houve imperícia ou negligência — afirma Araujo.

Conforme o delegado, o motorista do coletivo da linha Belém Velho contou, em depoimento, que a jovem de 21 anos estaria perto da faixa de segurança e não teria olhado para a direção em que o veículo trafegava (sentido Centro-bairro) antes de atravessar a rua. Porém, testemunhas garantem que a menina estava sobre a faixa. Ainda conforme o condutor, um ônibus recém havia parado na sinaleira com a Venâncio Aires momentos antes da colisão.

A ciclista estaria indo para a aula em uma universidade quando foi atropelada pelo coletivo. Segundo relatos de testemunhas, a jovem estaria sem capacete.


Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.