Troca de mensagens

Osmar Terra admite que pediu a executivo preso na Lava-Jato doação para campanha

Deputado gaúcho está entre os políticos que trocaram mensagens com o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, condenado por cartel na Petrobras

08/01/2016 - 17h53min | Atualizada em 08/01/2016 - 18h28min
Osmar Terra admite que pediu a executivo preso na Lava-Jato doação para campanha Leonardo Prado/Agência Câmara
Foto: Leonardo Prado / Agência Câmara  

Citado na relação de políticos que trocaram mensagens por celular com o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, o deputado Osmar Terra (PMDB-RS) reconhece que solicitou à empreiteira doação para sua campanha em 2014. O parlamentar afirma que acertou um repasse, mas, como o dinheiro não foi liberado, enviou uma mensagem ao executivo. Não há registro de doações da OAS para a candidatura do peemedebista.

— Apenas perguntei se a doação seria feita, o que acabou não acontecendo. Não recebi dinheiro da OAS e não houve caixa 2. Faço questão que venha à tona o teor das mensagens. Quero que fique claro quem tinha relações escusas com ele (Léo Pinheiro) e quem só foi pedir dinheiro para campanha, que foi o meu caso – afirma Terra.

Mensagens de executivo da Lava-Jato citam três ministros
STF autoriza quebra de sigilo de Cunha, mulher e filha, diz jornal

Reportagem do jornal O Estado de São Paulo desta sexta-feira trouxe uma lista de políticos mencionados nas conversas registradas no celular de Léo Pinheiro, apreendido nas investigações da Operação Lava-Jato. O executivo trocou mensagens com os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e três ministros do governo Dilma Rousseff — Jaques Wagner (Casa Civil), Edinho Silva (Comunicação) e Henrique Eduardo Alves (Turismo).

Com dificuldades para financiar sua campanha, Terra relata que procurou uma série de empresas em 2014. Em Brasília, foi ao escritório da OAS, onde acertou uma doação entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. Léo Pinheiro não estava presente, mas autorizou que os funcionários passassem o número do seu celular ao gaúcho. Como o dinheiro não era liberado, Terra afirma que enviou a mensagem para o telefone do executivo.

Cerveró revelou propina para eleição de Jaques Wagner em 2006

O parlamentar garante que não conhece pessoalmente Léo Pinheiro, condenado na Lava-Jato por participar do cartel na Petrobras, e que não tem relação com os fatos investigados pela Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.