Diogo Olivier

O Inter tem de revogar a ideia de que é um time de Série A na Série B

É a realidade, é o mundo real, é a dureza do agora. O clube não é menor por viver essa situação

19/06/2017 - 09h00min | Atualizada em 19/06/2017 - 09h00min
O Inter tem de revogar a ideia de que é um time de Série A na Série B Ricardo Duarte/Inter,Divulgação
Foto: Ricardo Duarte / Inter,Divulgação  

Diante das circunstâncias adversas de toda a ordem, pareceu-me bom o empate sem gols do Inter com o Santa Cruz. Sem D'Alessandro e Pottker, mais a defesa toda reserva, não ter levado gol fora de casa contra uma das forças da Série B ganhou ares milagrosos. É pouco? Claro que é. Mas o Inter tem de revogar a ideia de que é um time de Série A na Série B. Não. É um time de Série B na Série B, e por isso está fora do G-4. 

É a realidade, é o mundo real, é a dureza do agora. O clube não é menor por viver essa situação. Se pensar assim de verdade, avançará. Guto Ferreira acertou na escalação inicial. Eu só trocaria um nome: Juan, um meia promissor, em vez de Marcelo Cirino, para ter qualidade de contra-ataque na dobradinha com Nico López. Buscou se defender melhor após levar gols de todas as maneiras. 

Leia mais



Sasha e Cirino fizeram os lados, fechando corredor. Uendel e Edenílson, por dentro. Dourado, atrás dessa linha. O ataque foi ruim, mas Danilo Fernandes fez uma defesa apenas, e olhe lá. Se vencer Paraná, Boa e Criciúma em casa, com Xavante fora no meio do caminho, a campanha do Inter se renova por completo.

A DEFESA — O empate escancarou o desequilíbrio de elenco do Inter. Do meio para a frente, alternativas. Do meio para trás, drama. Repare só na linha defensiva que finalizou o jogo, além do goleiro Danilo Fernandes: Junio, Klaus, Ortiz e Carlinhos. Este tem qualidade, mas sofre na parte física por estar sempre voltando de lesão, o que diminui seu rendimento no segundo tempo. Não ter levado gol foi uma façanha, só possível porque o resto do time jogou para proteger a defesa. O Inter só tem um zagueiro, e ele está machucado: Cuesta. Se já tinha de ir às compras antes da lesão de Danilo Silva, agora é questão de vida ou morte.

INTOCÁVEL — Guto Ferreira teve duas chances de sonhar com vitória nas substituições, mas as desperdiçou. É questão de opinião, claro: o técnico tenta sempre fazer o melhor para o time. Até pelo gramado freio de ouro, tinha mesmo de renovar o gás. Mas deixar Cirino até o final não deu para entender. Nico foi o primeiro a sair, dando lugar a Diego. Sem os gols dele, o Inter estaria no Z-4. Não vai jogar bem todas, mas pode decidir em um lance e tem evoluído na recomposição _ embora Guto discorde. Se Sasha saiu por cansaço, vá lá. Fazia bom jogo. Juan tinha mesmo de ter entrado antes, até. Cirino parece intocável.

* ZH Esportes

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.