Operação Lava-Jato

Sentença de Lula vem aí

Está quase tudo pronto para julgamento do ex-presidente por posse de imóvel em Guarujá (SP) que teria sido doado por empreiteira como favor

19/06/2017 - 14h28min | Atualizada em 19/06/2017 - 14h51min
Sentença de Lula vem aí Montagem sobre fotos: Fabio Rodrigues Pozzebom/Douglas Magno/AFP/Agência Brasil
Luiz Inácio Lula da Silva (esquerda) será julgado pelo juiz Sérgio Moro (direita) em Curitiba Foto: Montagem sobre fotos: Fabio Rodrigues Pozzebom/Douglas Magno / AFP/Agência Brasil  

Termina nesta terça-feira o prazo para os últimos argumentos dos advogados de Luiz Inácio Lula da Silva no processo sobre a compra de um triplex na praia do Guarujá (SP). São as chamadas alegações finais – a palavra final sempre cabe aos defensores do réu. E daí em diante o juiz que comanda o processo na 13ª Vara Federal de Curitiba, Sergio Moro, pode dar a sentença.

Muitos apostam que será uma sentença à jato e Moro tem antecedentes que justificam essa hipótese. Com relação a Eduardo Cunha (PMDB), deputado federal cassado e ex-presidente da Câmara Federal, o juiz curitibano o condenou três dias após as alegações finais. Para prender Cunha, Moro levou 17 dias — desde a data em que recebeu o caso. É um homem de mão rápida e caneta pesada, costuma sentenciar a penas altas.

Leia mais:
Confira depoimento de Lula sobre o triplex
As acusações contra Lula por ocultação de bens
Lula e a investigação do triplex

Só que Lula é ex-presidente do país e continua ídolo pouco questionado num dos mais populares partidos brasileiros, o PT. É provável que Moro leve isso em consideração, antes de dar uma sentença que seria muito questionada, politicamente, pela rapidez.

Existem também questões técnicas a serem levadas em conta. Lula responde a seis processos judiciais, três deles na Lava-Jato: disfarçar ganhos de palestras dadas a convite de construtoras, ocultar a propriedade do triplex no Guarujá e de um sítio em Atibaia (SP), que teriam sido doados por empreiteiras como compensação por favores prestados pelo ex-presidente.

Dos três, o mais frágil em provas — isso até os investigadores reconhecem — é o que está pronto para julgamento, o do triplex no Guarujá. Não há documento comprovando que Lula é o dono do imóvel, embora muitas testemunhas digam que ele era (inclusive uma muito importante, o presidente da construtora OAS, Leo Pinheiro). 

Lula não chegou a usufruir do apartamento e nem levou seus pertences para lá. Já com relação às palestras, estão documentadas. E quanto ao sítio, Lula passava temporadas lá, tanto que a PF documentou mais de 90 objetos do ex-presidente dentro da chácara paulista.

É por isso que, embora provável, a condenação do ex-presidente não é líquida e certa. Caso condenado, ele ainda pode ser candidato a presidente do Brasil, a menos que seja condenado em segunda instância até meados do ano que vem.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.