Operação Carne Fraca

Um teste de fogo para o sistema de controle de qualidade do Brasil

Especalista avalia que retrospecto do país em superar os padrões de controle ajudou a evitar restrições ainda mais duras do que as anunciadas

20/03/2017 - 17h22min | Atualizada em 20/03/2017 - 19h20min
Um teste de fogo para o sistema de controle de qualidade do Brasil /
 

Até agora, a reação da União Europeia ao escândalo gerado pela Operação Carne Fraca foi benigno. Pedir ao governo brasileiro que evite embarques de frigoríficos envolvidos em fraude, no cardápio de medidas restritivas, é um sinal de luz, que significa "cuidado". 

A China, que se tornou neste ano a maior compradora de carne bovina e a terceiro maior de frango (veja gráfico acima), foi mais dura, adotando suspensão temporária. 

Leia mais
Países restringem importações do Brasil depois de Carne Fraca
Churrasco de imagem e de marcas
Entidade que representa o setor aponta "generalização" de suspeitas

Renata Amaral, diretora de comércio exterior da Barral M Jorge, consultoria que assessora entidades do setor em disputas na Organização Mundial do Comércio (OMC), avalia que o prejuízo à imagem do Brasil lá fora já ocorreu, o que lamenta:

– O Brasil exporta frango para 170 países e carne bovina, para 150, incluindo os mercados mais rigososos, com certificados negociados bilateralmente. 

Segundo a especialista, contou a favor do Brasil o retrospecto de superar os padrões exigidos, mas que diante das evidências de que não existe ¿risco zero¿, a única opção é tratar do tema com extrema transparência.

Leia outras informações da coluna de Marta Sfredo   

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.