Duas perguntas 

Depois de pedir o impeachment de Janot, jovem formado pelo MIT quer que políticos denunciados sejam julgados por júri popular

Com 22 anos, Gustavo Haddad Braga é formado em Engenharia pelo MIT, uma das mais renomadas universidades do mundo e já tem livro publicado

16/06/2017 - 19h10min | Atualizada em 16/06/2017 - 19h18min
Depois de pedir o impeachment de Janot, jovem formado pelo MIT quer que políticos denunciados sejam julgados por júri popular Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal  

Com 22 anos, Gustavo Haddad Braga ficou nacionalmente famoso ao entrar com pedido de impeachment do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Formado em Engenharia pelo MIT, uma das mais renomadas universidades do mundo, tem livro publicado e agora trabalha em uma outra proposta: um projeto de lei para que políticos denunciados sejam julgados por júri popular. 

Por que os políticos deveriam ser julgados por um júri popular e não por juízes de carreira? Acredito que um julgamento por júri traz uma legitimidade muito maior às decisões, porque o cidadão passa a se sentir efetivo participante, e não mero espectador, da administração da Justiça. Isso só tem vantagens. No caso de absolvição, daria à população a certeza de que o político foi absolvido porque era realmente inocente, e não por ainda mais negociatas espúrias. Já no caso de condenação, evitaria críticas desnecessárias de que este ou aquele juiz estaria, por conta dos reflexos políticos da decisão, agindo politicamente. 

Leia mais
Por que continuarei falando sobre Jair Bolsonaro
O número de professores reprovados no estágio probatório nos últimos 54 anos
Empresa de ônibus oferece assentos exclusivos para mulheres

Com os ânimos da população tão exaltados após tantos escândalos , um julgamento feito por júri popular não poderia ganhar tons de inquisição?
É sempre bom lembrar que o júri é aplicado em diversos países, como Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, por exemplo. E com amplitude até maior do que a que estou propondo, e vem funcionando bem há séculos, mesmo durante períodos de crise. Vestir o ¿manto¿ de jurado, seguindo um procedimento formal, com espaço para manifestação da defesa, faz com que as pessoas fiquem naturalmente muito mais serenas e criteriosas. Numa democracia, a população já exerce o dever mais gravoso de todos, que é o de escolher seus representantes. Faz todo o sentido que possa também tirá-los de lá se cometerem crimes.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.