Wianey Carlet

Messi x Taison: o duelo do século

Colunista descreve como seria o encontro entre o argentino e o brasileiro no clássico sul-americano

19/05/2017 - 19h16min | Atualizada em 19/05/2017 - 19h16min
Messi x Taison: o duelo do século Montagem sobre fotos / Jim Rogash/Getty Images, AFP e Pedro Martins/MowaPress/Jim Rogash/Getty Images, AFP e Pedro Martins/MowaPress
Foto: Montagem sobre fotos / Jim Rogash/Getty Images, AFP e Pedro Martins/MowaPress / Jim Rogash/Getty Images, AFP e Pedro Martins/MowaPress  

O jogo era amistoso, mas Brasil e Argentina, quando se enfrentam, é como se valesse título de Copa. Neste encontro em pleno inverno de 2017, o Brasil demonstrava o mesmo interesse de sempre. A Argentina, entretanto, via a partida como um marco na sua luta por vaga para a Copa da Rússia. Precisava vencer para devolver aos argentinos a confiança que andava sumida.

Messi, na véspera do jogo, arriscara uma provocação: "Acabou a era de vitórias brasileiras. Não somos a Alemanha mas não deixaremos por menos que uma goleada". Assim as duas seleções foram para o campo. A etapa inicial terminara empatada sem gols.

Leia mais:
Sem Neymar, Tite convoca Seleção Brasileira para encarar Argentina e Austrália em amistosos
Wianey Carlet: já imaginaram como vai ser o encontro de Taison com Messi?
Tite exalta chance de enfrentar a Argentina: "Não tem jogo amistoso"

Veio o segundo tempo e a Argentina jogou-se inteira para o campo de ataque. O Brasil se defendia e já chegava aos 30 minutos da etapa final quando Tite virou-se para os reservas e mandou Taison ir para o aquecimento. Dois minutos depois o garoto de Pelotas estava em campo. Mais três minutos e a bola não tinha chegado ao ataque.

Taison, então, decidiu. Recuou até a intermediária brasileira e colocou-se para receber o passe de Paulinho. A bola chegou macia e adormeceu no pé direito de Taison. O atacante ergueu os olhos e disparou. Desviou de um argentino e seguiu em alta velocidade. Tinha ultrapassado o grande círculo, quando percebeu que no seu trajeto se atravessava Messi.

Taison podia desviar, mas decidiu investir sobre o craque argentino. Messi preparou-se para desarmar o rival, mas quando Taison se aproximou, o argentino só teve tempo de ver a bola sendo tocada para o seu lado esquerdo, enquanto Taison voava pela sua direita. Dois metros adiante dominou a bola e completou uma meia-lua perfeita.

Messi tomou-se de fúria e avançou. Taison esperou e, quando o rival estava a um passo de distância, ergueu a bola com a ponta da chuteira e fez a bola roçar a franja de Messi. Não deixou a bola cair no chão. Com o pé direito, colocou a redonda a sua frente e zarpou na direção do gol.

O goleiro avançou e a torcida ficou em pé. Não sentou nem quando a bola tocou as redes argentinas. Gol do Brasil! Gol de Taison! Tomei a taça na mão e sorvi um gole de vinho tinto. Estava esperando por este gol desde 28 de maio de 2009.

Leia outras colunas de Wianey Carlet

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.