Sociedade

Luiz Carlos Corrêa da Silva: Fumo Zero? Sim, você pode

Você, fumante, aproveite e presenteie a si mesmo e aos que o amam com a melhor decisão da sua vida. Pare de fumar! Você pode!

29/05/2017 - 02h00min | Atualizada em 29/05/2017 - 02h00min

Médico pneumologista da Santa Casa de Porto Alegre, professor universitário

O jovem que começa a fumar torna-se, em pouco tempo, escravo da nicotina para o resto da vida. É nisto que aposta a indústria do tabaco para ganhar mais um consumidor cativo.

O tabagismo continua sendo o maior problema de saúde pública, apesar dos avanços para seu controle. A Organização Mundial da Saúde constatou que a epidemia do tabagismo alastrou-se para os países mais pobres, onde não existe legislação para o tema e os cuidados com saúde são precários. Mesmo países que contam com políticas e leis antifumo enfrentam este problema.

Como consequência, as doenças relacionadas ao tabaco aumentaram e matam muita gente. No Brasil, embora mais de 26 milhões tenham deixado de fumar e muitos continuem tentando se livrar desta dependência, ainda são contabilizados 20 milhões de fumantes.

Para chamar a atenção sobre o problema a Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) criou o Projeto Fumo Zero buscando fazer com que o cidadão abrace a ideia de zerar o fumo! Isto pode parecer impossível, mas só depende de nós. De fatores como o não fumante não se expor ao fumo passivo. Da atitude da família e dos educadores, evitando que os jovens comecem a fumar, do cumprimento da proibição de aditivos que disfarçam os cigarros com aromas e paladares agradáveis e da propaganda nos pontos de venda.

No fundo os fumantes gostariam de não fumar, mas sua dependência aniquila este desejo. Fumam, acima de tudo, por serem dependentes! O tratamento eficaz pode criar a atitude consciente do fumante. Pode zerar seu consumo de cigarros. Para isso, deve seguir quatro passos: ter desejo e motivação, preparar-se, marcar o dia D, e manter-se abstinente.

A Amrigs desenvolveu um trabalho pioneiro, passando a ser a entidade médica mais atuante no combate ao fumo. Como a mudança do comportamento coletivo é sempre muito difícil é fundamental que este trabalho seja consistente, envolvente, insistente e multiplicador. Com a atuação em rede dos profissionais da saúde, educadores, formadores de opinião, políticos e todos que queiram ajudar esta causa, a vida poderá ser muito melhor. Sem fumaça de cigarros, com pulmões respirando ar puro e com menos doenças e mortes.

Aproveitemos este 31 de Maio, Dia Mundial sem Tabaco, para uma reflexão simples e útil: vale a pena fumar? Você, fumante, aproveite e presenteie a si mesmo e aos que o amam com a melhor decisão da sua vida. Pare de fumar! Você pode!

Leia outros textos de opinião

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.