Perigo para as magrelas

Veja quais são os 10 bairros com mais acidentes de bicicleta em Porto Alegre

Em 15 anos, o Sarandi só não esteve no topo do ranking em 2009

19/07/2014 | 11h01
Veja quais são os 10 bairros com mais acidentes de bicicleta em Porto Alegre Adriana Franciosi/Agencia RBS
Ciclista morreu na Avenida Sertório em maio deste ano Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

O bairro Sarandi, na zona norte de Porto Alegre, se mantém desde 2010 como o mais violento para os ciclistas na cidade, em questão de acidentes, conforme dados da prefeitura. Em 2013, houve 12 ocorrências envolvendo pessoas que usavam bicicletas, mas o número caiu em relação aos últimos anos no bairro. Em 2012, foram 26, mas em 2003 chegou a 51. Desde 2000, o Sarandi só não foi o primeiro lugar em acidentalidade envolvendo bicicletas em 2009, quando o posto foi ocupado pela Restinga, na Zona Sul, com 22 ocorrências.

Leia todas as notícias de Zero Hora
Leia todas as notícias sobre ciclovias
Ciclovia do Futuro: confira o especial de ZH sobre a situação das ciclovias

No total, em 2012 aconteceram 291 acidentes de trânsito envolvendo bicicletas em Porto Alegre. No ano passado, foram 233 — uma queda de 19,9%. No histórico de 15 anos, o maior registro ocorreu em 2003: 479 acidentes. Em 2014, até acidente fatal já houve. Sobre mortes de ciclistas, em 2012 foram cinco e no ano passado, oito.

Cicloativista ligado à ONG Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mobicidade), Cadu Carvalho afirma que a construção de ciclovias ajudaria a reduzir o número de acidentes. No caso do Sarandi, seria preciso identificar se as ocorrências se concentram em determinada via de fluxo mais intenso ou se estão espalhadas pelo bairro. Carvalho lembra que no Sarandi — e em outras áreas periféricas da Capital — existe um grande número dos chamados "ciclistas-operários", aqueles que não usam a bicicleta por opção, e sim por ser um meio econômico de transporte:

— Essas pessoas não têm alternativa de horário para sair de casa nem de escolher outro meio de transporte se está chovendo, por exemplo. Eles estão à margem, não têm acesso às informações sobre como se portar no trânsito. E vivem em uma região com linhas de ônibus insuficientes, além de a passagem ser cara.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, disse que boa parte dos acidentes no Sarandi acontecem na Avenida Sertório. Ele concorda que o bairro é um dos que mais reúne ciclistas na cidade, e considera que a EPTC prioriza a região — e não a área central, onde estão construídos os maiores trechos cicloviários até o momento — ao decidir pela construção da ciclovia da Sertório, que, com 12 quilômetros será a maior da Capital.

— O projeto já foi entregue ao comitê gestor de finanças da prefeitura e, assim que eles derem o sinal, faremos o edital de licitação da obra da ciclovia da Sertório — aponta Cappellari.

Confira abaixo quais são os 10 bairros com mais acidentes na Capital — o estudo completo está no site do ObservaPOA.







Teste ZH: confira a avaliação das ciclofaixas de Porto Alegre

|

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.