Ainda em 2016?

Prefeitura estuda criar serviço de compartilhamento de carros

Prioridade é que transporte seja feito por carros elétricos, que possam ser recarregados nas estações

03/01/2016 - 17h50min

A prefeitura de Porto Alegre estuda criar um serviço de compartilhamento de carros - semelhante ao BikePoa, que envolve aluguel de bicicletas na Capital. Um grupo formado no final de novembro, que envolve diferentes secretarias, estuda legislação e viabilidade econômica de implementar estações de automóveis.

Prefeitura tenta taxar BikePoa e licitação não tem interessados

Licitação do BikePoa é adiada para não interromper serviço

A ideia é que o usuário pague uma taxa pelo uso de carros e deixe-os à disposição em outros pontos da cidade para outros motoristas. A ideia será apresentada ao prefeito José Fortunati no final de janeiro e, caso se decida pelo andamento, um projeto de lei será enviado à Câmara dos Vereadores autorizando o uso compartilhado de automóveis.

— Esse é um serviço que ocorre em outras cidades do mundo, e há alguns projetos em fase inicial no Brasil — explica o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari, que coordena o grupo. — Já há uma empresa interessada em prestar o serviço — garante.

Engenheiros planejam compartilhamento de carro na Ufrgs

Carro elétrico criado por gaúcho ganha nova versão

Capellari avalia que é possível começar a oferecer o compartilhamento de automóveis ainda neste ano. Se o serviço avançar nos trâmites legais, ainda será preciso definir localização de estações, quantidade de carros e valor de cobrança, além de selecionar o prestador do serviço.

A prioridade da prefeitura é que o transporte seja feito por carros elétricos, não poluentes, e que possam ser recarregados nas próprias estações. Em caso de multa por infrações de trânsito, os trâmites legais ficarão a cargo da empresa, que terá controle de quem estará utilizando o carro.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.