Bueiros da discórdia

Prefeito e procuradores de Justiça se reúnem para tratar do DEP

José Fortunati solicitou rapidez na apuração de denúncias de irregularidades no departamento e garantiu agilidade no repasse de informações

15/07/2016 - 16h11min | Atualizada em 15/07/2016 - 16h20min
Prefeito e procuradores de Justiça se reúnem para tratar do DEP Arte de Edu Oliveira sobre foto de Adriana Irion / Agência RBS/Agência RBS
Série de reportagens de Zero Hora mostra como contratos do DEP foram superfaturados em limpeza de bueiros inexistente Foto: Arte de Edu Oliveira sobre foto de Adriana Irion / Agência RBS / Agência RBS

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, se reuniu na manhã desta sexta-feira com o Procurador-Geral de Justiça, Marcelo Dornelles, para buscar o apoio do Ministério Público Estadual (MP-RS) na apuração das denúncias de irregularidades no Departamento de Esgotos Pluviais (DEP). O mandatário municipal sugeriu que prefeitura e promotorias atuem em parceria para a troca de informações e de recursos para que a investigação possa ser mais eficiente e rápida. O objetivo é dar uma resposta à população em 30 dias.

Participaram da reunião, também, a Procuradora-Geral do Município (PGM), Cristiane Nery, o procurador-adjunto, Lieverson Luiz Perin, e a procuradora Vanesca Buzelato Prestes. Fortunati detalhou ao procurador as medidas adotadas pela administração municipal desde o início da semana, quando as denúncias foram divulgadas.

O prefeito lembrou o afastamento dos diretores do DEP e a designação de servidores coordenados pelo Procurador-Geral adjunto do Município para praticar e coordenar os atos de gestão do departamento. Ele também citou a criação do grupo presidido pela Procuradora-Geral do Município para instauração da sindicância que está analisando documentos e ouvindo depoimentos de servidores do departamento. 

Leia mais:
Denúncias levam à saída de mais um diretor do DEP
Moradores fazem novas denúncias sobre o DEP
Veja no Facebook fotos de serviços mal feitos

Fortunati informou ainda que a empresa denunciada foi comunicada sobre o rompimento do contrato, os pagamentos às terceirizadas foram suspensos até a efetiva comprovação de que os serviços contratados foram realizados, os gestores das capatazias foram substituídos e a fiscalização foi centralizada. 

Na audiência, Fortunati ressaltou que essas são medidas emergenciais, mas que é preciso uma apuração detalhada e algumas mudanças para sanar os problemas detectados e dar uma resposta à população.

— O Ministério Público tem recursos para investigação e um poder coercitivo que a administração municipal não tem. A parceria nos ajudará a atingir resultados semelhantes aos que conseguimos atuando conjuntamente quando enfrentamos problemas na Procempa e na antiga Secretaria de Planejamento Municipal (hoje de Urbanismo), com a efetiva desestruturação do esquema existente e a reestruturação para que o dinheiro público seja aplicado de forma adequada e os serviços efetivamente prestados — afirmou o prefeito. 

Para o Procurador-Geral de Justiça, as medidas adotadas pela prefeitura estão dando um choque efetivo na gestão do DEP. Dornelles colocou o Ministério Público à disposição do governo municipal para a troca de informações e ações no sentido de apurar as irregularidades e solucionar o caso.

— A prefeitura tem as informações e o conhecimento das rotinas administrativas e nós temos o poder de investigar mais profundamente. Vamos atuar novamente de forma conjunta em um caso que para nós é urgente — , concluiu. 

Também participaram da audiência os promotores de Justiça Tiago Moreira da Silva (Promotoria de Defesa do Patrimônio Público) e Cláudio Ari Mello (Promotoria de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística).

Veja a investigação completa:


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.