Após longo trabalho

Veja como foi a volta do barco Cisne Branco à água 

Embarcação deve ser reinaugurada em 27 de setembro; de 28 de setembro a 2 de outubro, haverá passeios gratuitos para até 200 pessoas 

Por: Bárbara Müller
08/09/2016 - 14h02min | Atualizada em 09/09/2016 - 11h28min

Após quase oito meses em reforma, o barco Cisne Branco retornou às águas do Rio Jacuí na manhã desta quinta-feira, em São Jerônimo, na Região Carbonífera. A embarcação, que virou com a tempestade de 29 de janeiro em Porto Alegre, foi resgatada e levada para um estaleiro na cidade no início de abril. O retorno para a Capital deve ocorrer em duas semanas, com o auxílio de um reboque por água.

— O meu segundo filho está nascendo! — brinca, entusiasmada, a proprietária do Cisne Branco, Adriane Hilbig.

A reinauguração será no dia 27 deste mês, data alusiva ao Dia do Turismo. Haverá passeios gratuitos de 28 setembro a 2 de outubro para até 200 pessoas, capacidade máxima permitida no barco. A cortesia é uma forma de agradecimento aos que foram solidários à situação.

— Com esse incidente, nós fomos abraçados pelos cidadãos de Porto Alegre, por turistas e por pessoas que têm alguma história com o Cisne Branco. Essa é a nossa maneira de retribuir o carinho recebido.

Cerca de 15 homens trabalham para concluir a restauração. Segundo Adriane, que acompanha diariamente o processo, a reforma "bruta" já está pronta. Foram substituídas a fiação elétrica e as chapas de ferro do casco — danificadas durante o resgate. Ainda falta colocar o motor, o mobiliário, novas janelas, forrar os tetos e as paredes, além de finalizar a pintura, mas isso será concluído em duas semanas, agora que a embarcação já pode ficar na água.

Veja também:
Documentos mostram que Cettraliq vinha sendo investigada desde 2008
Conheça a história de leitores de ZH a bordo do barco Cisne Branco - Zero Hora

A embarcação passará a ter um banheiro com acessibilidade. Adriana promete, ainda, retomar os passeios do Cisne Branco com muitas novidades:

— Vamos oferecer diversas atividades culturais na temporada de outubro a março. Também queremos fazer, pelo menos, uma festa por semana.

De acordo com Adriane, estima-se que, ao fim da reforma, o investimento seja de R$1,5 milhão. Ela destaca que, além de recursos próprios, contou com o apoio de empresas privadas.

Segundo o capitão de fragata da Capitania Fluvial de Porto Alegre João Gilberto, foi realizada uma vistoria e a embarcação está em condições de navegação, conforme o laudo do engenheiro naval. A empresa apresentou um plano de reboque para o deslocamento até Porto Alegre, aprovado pelo órgão. 


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.