Porto Alegre

Revitalização do Largo dos Açorianos fica para julho de 2017

Restauro da Ponte de Pedra foi entregue no final de setembro, e já corre o prazo de nove meses para melhorias nos entornos

Por: Jéssica Rebeca Weber
14/10/2016 - 18h43min | Atualizada em 17/10/2016 - 13h49min

A revitalização do Largo dos Açorianos, que chegou a ser prometida para este ano, deve ser concluída em julho de 2017, de acordo com a prefeitura. Os restauros da Ponte de Pedra foram entregues em setembro, com dois meses de atraso, mas ainda falta fazer a reurbanização dos entornos.

A ordem de início para essa última etapa, que custará R$ 4.680.914,86, foi assinada no dia 3 de outubro com a Elmo Eletro Montagens, empresa que venceu a licitação. Desde então, corre o prazo de nove meses para a execução do projeto — e consequente devolução do cartão-postal à cidade.

Leia mais:
Restauro da Ponte de Pedra levanta polêmica nas redes sociais
EPTC ainda faz estudos para usar câmera para multar em corredor
De "supertetas" a zebra sem rabo: pedestres interpretam esculturas de POA

Coordenador da Memória Cultural da Secretaria Municipal da Cultura, Luiz Antônio Custódio aponta as chuvas como motivo do atraso na entrega da Ponte de Pedra, lembrando também que ela precisou ser repintada porque foi pichada em agosto. A ponte foi construída entre 1846 e 1848, sobre o Dilúvio. A canalização do arroio fez ela perder a utilidade, mas seguiu como um testemunho dos velhos tempos na Avenida Loureiro da Silva.

A proposta de revitalização do Largo dos Açorianos foi lançada pela prefeitura em outubro do ano passado. Um primeiro projeto chegou a ser iniciado em fevereiro de 2015 para a limpeza do espaço. No entanto, foi suspenso logo depois da retirada do lodo para reavaliação, em função da complexidade da obra, de acordo com a prefeitura.  

Foto: Jéssica Rebeca Weber / Agência RBS

O que vai ser feito na reurbanização do Largo:

— No lado da Ponte de Pedra, o nível do lago será rebaixado, com o objetivo de resgatar a originalidade do monumento, deixando aparentes os pilares de pedra. Já no lado do viaduto, o atual nível do lago será mantido, em razão das redes de infraestrutura existentes no local, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam).

— Os dois espelhos d'água em níveis distintos serão interligados por uma queda d'água (fonte), que fará, juntamente com os aspersores (bicos de fonte tipo gêiser), a movimentação da água, por meio do uso de bombas hidráulicas.

— O largo deve receber passeios e esplanadas, espaços sinalizados com piso podo-tátil e bancos. O espelho d'água do lado da Ponte de Pedra será circundado por escadarias de concreto, com arquibancadas para o lazer contemplativo do monumento.

Foto: Reprodução / PMPA

Leia mais notícias de ZH Pelas Ruas

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.