Debate público

Passagem entre R$ 3,29 e R$ 4,24? Entenda o simulador de tarifas

Prefeitura lançou, nesta semana, site para mostrar os custos que incidem nos valores do transporte

Por: Lara Ely
09/02/2017 - 16h56min | Atualizada em 09/02/2017 - 17h17min

Em um ferramenta online lançada nesta semana, a prefeitura pretende mostrar quanto cada custo representa no preço da tarifa de ônibus de Porto Alegre, cujo reajuste está em discussão neste início do ano. ZH testou o site. No início da simulação, a barra superior mostra o valor de R$ 3,95 _ que é a tarifa projetada para 2017 sem incluir o reajuste dos salários de motoristas e cobradores. O sistema primeiro pergunta sobre a frequência com que o usuário anda de ônibus e se utiliza gratuidades. 

É possível "montar" preços de passagem, retirando e incluindo gratuidades, opinando sobre investimentos e sobre o reajuste aos rodoviários. Não é preciso cadastro e nem identificação para fazer as simulações. Apenas para enviar o resultado à prefeitura _ que promete considerar o resultado das pesquisas na hora de definir o valor para 2017. Neste caso, nome, CPF e data de nascimento são requeridos. Até o final da manhã desta quarta, cerca de 1 mil votos e 80 acessos por segundo foram computados pela Procempa.

Foto: Arte ZH / RBS

Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), sobre o valor projetado para 2017 irá incidir o reajuste do acordo coletivo dos rodoviários, que será calculado sobre o INPC de 5,15%. Marcelo Soletti, presidente da entidade, diz que este percentual será definido nos próximos dias.

_ Encaminhando a proposta, os rodoviários marcam a assembleia, votam, nos repassam o texto aprovado e encaminhamos ao Contu, para eles terem no mínimo sete dias para avaliar a conta. Estimamos que pela segunda quinzena de fevereiro tenhamos algo definido _ afirma Soletti.  

Leia mais:
Em cinco passos, veja como a tarifa de ônibus será definida em 2017
Página possibilita simular tarifa dos ônibus e enviar proposta à prefeitura

O simulador online contempla perguntas sobre isenções para idosos e segunda passagem. Soletti explica que outras gratuidades como as concedidas a estudantes (que representam 3,97% da tarifa hoje), passe livre (1,4%) e acompanhantes de usuários com necessidades especiais foram deixadas de fora porque não cabem ao prefeito ou possuem relevância social consagrada. 

_ Passe livre para idoso acima dos 65 anos, por exemplo, é estabelecido pela Constituição Federal, enquanto o desconto para estudantes é uma gratuidade muito consolidada na Capital_ explica.

Para Soletti, a isenção para idosos entre 60 a 64 anos é discrepante em relação a outros estados, já que "traz bastante dúvida e  tem impacto considerável no custo". Outro ponto questionado pela prefeitura é o desconto de 100% na segunda passagem, benefício que atinge 13% dos usuários. 

Cobradores e GPS 

A obrigatoriedade de haver um cobrador para cada motorista de ônibus é um dos pontos explicitados no simulador que afetará o novo preço da passagem. As demissões estariam descartadas, segundo o presidente da EPTC, e o reajuste orçamentário seria possível mediante da alocação de profissionais nas empresas, de acordo com o fluxo de saída de pessoal (algo em torno de 10% ao ano). 

Sobre o uso de GPS, previsto na atual licitação, Soletti explica que é uma melhoria obrigatória e ela vai, necessariamente, impactar no valor da passagem. Cabe ao poder público, segundo ele, determinar como será a colocação, o tipo de equipamento e a partir de quando ele será instalado. Para contornar o impacto na tarifa, a proposta da EPTC é reduzir horários e linhas de ônibus para adequar a nova realidade de passageiros transportados, que encolheu 10,5% desde 2015.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.