Crise

Medidas de ajuste adiam chance de atrasos de salários em Porto Alegre para maio, diz secretário da Fazenda

Foram R$ 90 milhões economizados em janeiro e fevereiro. Segundo Leonardo Busatto, o segundo semestre será o mais difícil

06/03/2017 - 12h57min | Atualizada em 06/03/2017 - 12h57min
Medidas de ajuste adiam chance de atrasos de salários em Porto Alegre para maio, diz secretário da Fazenda Luciano Lanes / PMPA/PMPA
Foto: Luciano Lanes / PMPA / PMPA  

Após relatar que a prefeitura da Capital teria problemas para honrar compromissos financeiros a partir de março, uma nova previsão foi apresentada nesta segunda-feira pela Secretaria da Fazenda. De acordo com o titular da pasta, Leonardo Busatto, os R$ 90 milhões economizados em janeiro e fevereiro, a partir de medidas de ajuste, deram fôlego às contas municipais. Assim, o período mais difícil ficará para o segundo semestre, com os primeiros reflexos sentidos ainda em maio.

— Vamos ter que fazer escolhas. E essas escolhas terão que ser compartilhadas com a sociedade, com o governo e com a Câmara de Vereadores — relata Busatto.

Apesar da previsão, o secretário afirma que medidas de contenção de despesas poderão atenuar o impacto das dívidas ao longo do ano. Nas próximas semanas, um pacote de projetos de austeridade será encaminhado pelo prefeito Nelson Marchezan ao Legislativo municipal. Neste momento, a prefeitura articula apoio às medidas, algumas delas de corte de benefícios.

Leia mais
Passageiro agride motorista, condutor desmaia e ônibus quase cai de viaduto
Dúvidas marcam a volta às aulas em escolas municipais de Porto Alegre
19 mil "vizinhos": nas redes sociais, moradores e fãs do Centro se encontram

A despesa mensal mais significativa é com pessoal, cerca de 60% da arrecadação. A prefeitura não descarta atrasos e parcelamentos, embora a possibilidade ainda seja pequena. Há a possibilidade de cortes em repasses para convênio que mantêm creches comunitárias, obras, tapa-buraco, entre outros. No entanto, Busato afirma que haverá discussões com servidores, sindicatos e entidades antes de qualquer medida extrema.

Valores
De acordo com a prefeitura, a previsão de déficit da prefeitura até o final do ano é de R$ 732 milhões. No entanto, a conta inclui saques no Caixa Único realizados no ano passado (R$ 143 mi), que não precisam ser pagos imediatamente; a antecipação de IPTU definida ainda pelo prefeito José Fortunati (R$ 115 mi), que pode ser repetida por Marchezan neste ano; atrasos de fornecedores referentes à gestão anterior (R$ 343 mi). Nesse último caso, o município chamará os credores e tentará negociar. Em 2017, os pagamentos a fornecedores está em dia.

* Rádio Gaúcha

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.