Grama alta

Prefeitura de Porto Alegre assina contrato emergencial para capina

Início do trabalho deve ocorrer nos próximos 10 dias, segundo secretaria 

03/03/2017 - 17h44min | Atualizada em 03/03/2017 - 21h28min
Prefeitura de Porto Alegre assina contrato emergencial para capina Ronaldo Bernardi/Agência RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS  

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Surb) assinou nesta sexta-feira contrato com a empresa MG Terceirização de Serviços para a execução da capina nas vias públicas de Porto Alegre. Com validade de até 180 dias, o documento tem caráter emergencial — por isso, não pode ser renovado.

A empresa anterior, Ecopav Construções e Soluções Urbanas, havia paralisado o serviço devido a falta de pagamento em três meses do ano passado. O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) rescindiu o contrato e optou-se pela contratação emergencial. A realização do serviço deverá começar em até 10 dias.

Leia mais:
Sem pagamento para empresa de capina, mato cresce nas ruas de Porto Alegre
Prefeitura de Porto Alegre estima que capina seja retomada em março

Em 16 de fevereiro, a Surb publicou edital no Diário Oficial de Porto Alegre, informando sobre a abertura da seleção para as empresas interessadas em prestar o serviço de capina de forma emergencial. Das cinco empresas que apresentaram propostas, duas foram desclassificadas por entregarem orçamentos acima do limite previsto no projeto básico (valor unitário por quilômetro de meio-fio é de até R$ 797,40). A vencedora foi a MG, que ofereceu o valor de R$ 672,08 por quilômetro para a execução da atividade.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.