Economia

Giane Guerra: crise fecha armazém Paulinho Cobal, no bairro Floresta 

Empresário procura um novo lugar para reabrir a loja, que havia virado referência na vizinhança

22/06/2017 - 10h18min | Atualizada em 23/06/2017 - 08h51min
Giane Guerra: crise fecha armazém Paulinho Cobal, no bairro Floresta  Tadeu Vilani/Agencia RBS
Mercadorias da Paulinho Cobal em foto de março de 2015 Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS  

Depois dez anos, a crise fechou as portas da Paulinho Cobal, loja conhecida da Rua Quintino Bocaiúva, no bairro Floresta, em Porto Alegre. Custos altos e queda nas vendas são a combinação que o empresário Paulo Roberto Abreu enfrentou e as contas não fecharam mais. 

O anúncio está sendo feito a clientes e fornecedores. Na página do Facebook, foi colocada a mensagem: 

"Queridos parceiros, anunciamos o encerramento total das nossas atividades na Quintino Bocaiúva. Infelizmente não conseguimos superar a crise; e essa foi a melhor escolha a ser feita. Em breve reabriremos em um novo local, os manteremos informados aqui pelo face. Agradecemos de todo o coração a todos vocês que tornaram nossa Paulinho Cobal o que foi, pra nós, um sonho realizado. <3"

Leia mais notícias sobre Porto Alegre

Centenas de comentários lamentam a decisão. Mas não houve mais como suportar os gastos. Principalmente, com aluguel e pagamento de funcionários. A empresa acredita que a falta de segurança também tenha afastado clientes, além da queda do poder aquisitivo. 

Mas a Paulinho Cobal poderá ter uma nova loja. Locais com custo menor são analisados. Possibilidade forte de que seja na Zona Sul de Porto Alegre.

Antes de abrir a loja, vendia no galpão da Cobal que ficava do outro lado da rua. No local, eram comercializados principalmente frutas e vegetais. Era conhecido pelos clientes como um armazém charmoso para comprar hortigranjeiros.

*RÁDIO GAÚCHA


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.