Hospitais

Número de pacientes diminui, mas emergências seguem superlotadas em Porto Alegre

Somente casos com risco de morte são atendidos em quatro hospitais da Capital

Por: Bárbara Müller
20/06/2017 - 20h39min | Atualizada em 20/06/2017 - 20h39min
Número de pacientes diminui, mas emergências seguem superlotadas em Porto Alegre Bruno Alencastro/Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS  

Quando Joyce Vilela, 21 anos, e o namorado Douglas do Carmo, 28 anos, chegaram à emergência do Hospital Conceição, na zona norte de Porto Alegre, na tarde de terça-feira (20), foram avisados pelo porteiro de que a emergência do hospital estava atendendo apenas casos muito graves. Ao relatarem que a menina estava sentindo uma dor forte no rim e na coluna, daquelas que mal se pode andar, o rapaz que estava na porta, prontamente, entrou para chamar dois enfermeiros — que orientaram Joyce e Douglas a procurarem atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Triângulo.

— Estou sentindo dor desde ontem(segunda-feira), não consigo nem caminhar direito. Vim no Conceição porque é referência, mas não consegui atendimento — queixa-se Joyce. E o namorado completa: — O pessoal que nos atendeu foi muito gente fina, explicaram a situação, porque não estão atendendo, mas precisam seguir regras, né? Eles não têm culpa.

Veja também:
Secretaria de Saúde faz acordo com hospitais para desafogar emergências em Porto Alegre
Nove hospitais têm emergências com atendimento restrito na Região Metropolitana de Porto Alegre

Com o problema de superlotação em pelo menos nove hospitais na Região Metropolitana na manhã de terça, ZH foi conferir a situação em três hospitais de Porto Alegre e descobriu que, na parte da tarde, a situação já era menos grave.

O Conceição era um dos que apresentava capacidade excedida — 64 leitos—, e tem funcionamento restrito desde o último final de semana. De acordo com o motorista Anderson Terra, 29 anos, que estava internado na emergência da instituição desde sexta-feira com suspeita de pancreatite, a situação já foi bem pior.

— Estava muito mais cheio, as cadeiras daqui estavam todas ocupadas, tinha muito mais gente — relata Anderson, mostrando as cadeiras vazias da ala de observação do corredor da emergência.

Moradora de Alvorada, Cassilene Nunes, 26 anos, preocupada, levou a mãe Eraci Nunes, 59 anos — que estava sentindo falta de ar e há dois anos tinha entrado em coma devido a uma parada cardíaca e respiratória — até a emergência do Conceição, onde já foi paciente. Após ter chegado, ao meio-dia, pouco tempo depois, a mãe já estava em atendimento.

— Ela usa oxigênio desde que voltou para casa, após o coma, e provavelmente terá de ficar aqui, porque no estado em que ela chegou, não dá para voltar para casa. Ela já estava ficando roxa — conta Cassilene.

Presidente Vargas reabriu unidade terça-feira à tarde

Assim como o Conceição, outros hospitais de Porto Alegre também estão com a emergência superlotada e operando com atendimento restrito a casos em que o paciente apresenta risco de morte. O Hospital de Clínicas de Porto Alegre está com o dobro de pacientes na ala adulta: são 80 pacientes para 41 leitos. Na emergência pediátrica, o hospital está operando com a capacidade máxima, de nove leitos.

A emergência adulta do Hospital São Lucas da PUCRS operava até a tarde de terça com um pouco mais do que o dobro da capacidade: 27 pacientes para 13 leitos. Na ala pediátrica, são sete pacientes para oito leitos. A instituição reforça que as duas alas estão funcionando com atendimento restrito, atendendo apenas a casos urgentes. No Hospital Santa Clara, do Complexo Santa Casa, 29 pacientes são atendidos na emergência, que tem 24 vagas. Mesmo lotada, a área infantil está aberta.
  
O atendimento na emergência do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas voltou a ser normalizado no início da tarde de terça. As atividades estavam suspensas desde o início da manhã de segunda-feira por conta da superlotação: com cinco leitos, o número de pacientes era quatro vezes maior.  

 Situação nas emergências da Capital com lotação máxima

CLÍNICAS

Capacidade: 41 pacientes no setor adulto e 9 no setor pediátrico

Pacientes em atendimento: 80 adultos e 9 crianças

CONCEIÇÃO

Capacidade: 64 adultos

Pacientes em atendimento: 79 

SÃO LUCAS

Capacidade: 13 leitos para adultos e 8 leitos para crianças

Pacientes em atendimento: 27 adultos e 7 crianças

SANTA CLARA

Capacidade: 24 leitos para adultos e 13 para crianças

Pacientes em atendimento: 29 adultos e 11 crianças

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.