Para o inverno

Secretaria de Saúde faz acordo com hospitais para desafogar emergências em Porto Alegre 

Hospitais maiores enviarão pacientes de baixa complexidade para estabelecimentos menores 

20/06/2017 - 17h49min | Atualizada em 20/06/2017 - 17h49min
Secretaria de Saúde faz acordo com hospitais para desafogar emergências em Porto Alegre  Lucas Abati/Agencia RBS
Foto: Lucas Abati / Agencia RBS  

Em reunião na tarde desta terça-feira (20), a Secretaria Municipal de Saúde e hospitais de Porto Alegre estabeleceram um novo fluxo de pacientes para desafogar as emergências, que estão superlotadas. O número de pessoas atendidas nas unidades de saúde aumentou principalmente devido à chegada do frio.

Conforme o secretário Erno Harzheim, pacientes internados em emergências de hospitais maiores serão encaminhados para hospitais menores que possam atender pacientes com baixa complexidade. Assim, instituições como Hospital de Clínicas, São Lucas (PUCRS), Santa Casa e Conceição, por terem mais recursos, receberão apenas casos mais graves.

— Há pacientes internados que estão finalizando o tratamento. Eles precisam apenas do ambiente hospitalar, e não da densidade de grandes instituições. Com esta mudança, firamos o fluxo e tentamos seguir a meta de colocar o paciente certo no lugar certo e na hora certa — explica Harzheim.

Leia mais
Atendimentos são suspensos na emergência pediátrica do Hospital Presidente Vargas
Nove hospitais têm emergências com atendimento restrito na Região Metropolitana de Porto Alegre

O fluxo será organizado pela Central de Regulação da prefeitura, e haverá transferências de três pacientes para cada instituição em horários pré-determinados.

— Na prática, esta função já existe, mas estávamos tendo dificuldades em operacionalizar este fluxo nos últimos meses. Isto não acaba com a superlotação. Mas vai amenizar — esclarece.

O secretário lembrou também que, sempre que chega o inverno, o número de pacientes aumenta em pronto-atendimentos e em emergências de hospitais. Ele aponta o envelhecimento da população brasileira como um dos motivos para o aumento no número de doentes, mas destaca que os valores de tabelas e de procedimentos hospitalares estão estagnados há anos.

Erno Herzheim lembrou que, desde o começo do ano, a pasta nomeou 112 profissionais da área da saúde, e outros 112 estão em processo de contratação para o Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família. Além disso, foi aprovada lei que prevê contratação temporária de 70 profissionais, que irão qualificar os pronto-atendimentos e a emergência do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas.

Ouça a entrevista com o secretário municipal de Saúde


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.