Transporte público

Após quase 10 anos, Trensurb pede reajuste de 47% na passagem

Segundo a empresa, tarifa atual só cobre 43% das despesas, enquanto governo federal subsidia o restante dos custos do trem

11/07/2017 - 11h11min | Atualizada em 11/07/2017 - 18h11min
Após quase 10 anos, Trensurb pede reajuste de 47% na passagem Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS  

A Trensurb quer aumentar o valor da passagem depois de uma década cobrando R$ 1,70 pela viagem. Após a realização de um estudo interno, o pedido de reajuste de 47% foi encaminhado, em maio, ao Ministério das Cidades. Se aprovado o pedido, a tarifa passaria para R$ 2,50.

O preço da passagem não sofre aumento desde janeiro de 2008, quando passou de R$ 1,50 para R$ 1,70. Hoje, segundo a Trensurb, a atual tarifa só cobre 43% das despesas. O restante dos gastos é suprido pelo governo federal. 

A intenção é recompor parte das perdas nestes quase 10 anos sem reajuste. Conforme a Trensurb, a inflação acumulada no período, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), é de 78,8%.

— Para que não haja necessidade de um aporte mais significativo de valores, haveria necessidade de reajustar essa tarifa. A ideia do governo é que ela jamais seja mais alta que a tarifa dos ônibus. Ela tem uma finalidade social. Mas verificamos que a sociedade como um todo está suportando essa tarifa, não apenas os usuários do trem, mas também isso acaba sendo repassado para toda a sociedade. De alguma maneira, embora gradual, nós precisamos reajustar estes valores — avalia o diretor-presidente da Trensurb, David Borille.

A empresa explica que, em 2016, a taxa de cobertura operacional – razão entre as receitas totais e as despesas de funcionamento – foi de 44,35%. Ou seja: 55,65% do custeio da empresa se deu por meio de recursos do Tesouro Nacional. O objetivo da direção é elevar a taxa de cobertura operacional a 65%. Para que essa diferença não volte a aumentar, a ideia da diretoria da empresa pública é que os reajustes ocorram anualmente. Questionado, o Ministério das Cidades informou que está avaliando o pedido.

"O Governo Federal vem avaliando a operação da Trensurb com o objetivo de melhorar as condições operacionais e de segurança ao usuário e que dentro desses estudos vem avaliando formas de realinhar o valor da tarifa atual. Porém, até o presente momento, não há definição de data e índice de reajuste a ser aplicado", diz a nota divulgada. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.