Buraqueira

Recursos para tapar buracos foram liberados após negociação com empresas, afirma secretário 

Prefeitura de Porto Alegre devia R$ 730 mil reais para fornecedoras de areia para usinas de asfalto

Por: Zero Hora e Felipe Daroit
03/07/2017 - 10h52min | Atualizada em 04/07/2017 - 13h51min
Recursos para tapar buracos foram liberados após negociação com empresas, afirma secretário  Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS  

Correção: as obras de requalificação asfáltica pagas com recursos da Corporação Andina de Fomento (CAF) não haviam sido interrompidas. A informação errada, de que seriam retomadas, ficou no ar entre as 10h52min do dia 3/7/2017 e as 14h de 4/7/2017. O texto foi corrigido.

Um mês após as chuvas abrirem crateras por toda Porto Alegre, a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) anunciou que vai retomar a operação tapa-buracos na Capital. Ela estava paralisada devido à interrupção do fornecimento de areia por parte das empresas – elas decidiram que só retomariam o serviço após a prefeitura honrar uma dívida de cerca de R$ 730 mil. 

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, na Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira (3), Elizandro Sabino, titular da pasta, afirmou que a dívida foi negociada com as empresas e que a primeira parcela já foi paga. Segundo o secretário, o dinheiro para pagar a dívida vem de recursos do Tesouro municipal. O pagamento do débito foi analisado pela Secretaria da Fazenda e entrou nos critérios de pagamento da atual gestão municipal.

— Analisando o caráter de excepcionalidade e interesse público, a Secretaria da Fazenda liberou o recurso do Tesouro municipal por determinação do prefeito. O secretário da Fazenda, Leonardo Busatto, tem estabelecido uma ação muito cautelosa e nós estamos obviamente alinhados com esse processo para que possamos ter não somente uma situação paliativa, mas um processo de continuidade — declarou.

Leia mais
Após prefeitura negociar dívidas, operação tapa-buraco é retomada
Trecho de 3 km da Avenida Protásio Alves, em Porto Alegre, tem mais de 300 buracos 
Única usina de asfalto funcionando em Porto Alegre produz menos de um quarto do que é capaz 

De acordo com o secretário, os recursos foram liberados após análise de prioridades de investimentos de recursos municipais.

— Não temos outra alternativa senão efetivamente estabelecer aquilo que é prioridade. E se trata de segurança, segurança dos usuários, das pessoas que acessam as ruas da cidade de Porto Alegre — disse Sabino.

O secretário afirmou, ainda, que a prefeitura deve, desde maio de 2016, R$ 730 mil às empresas que fornecem areia para as usinas de produção de asfalto da Capital. Essa dívida será paga em quatro parcelas – a primeira delas já foi quitada. 

O cronograma da nova etapa da operação tapa-buracos nas vias de Porto Alegre será feito conforme os pedidos que chegam pelo telefone 156. As obras de requalificação asfáltica pagas pelos recursos da Corporação Andina de Fomento (CAF) seguirão em andamento.

— Estamos trabalhando através das demandas que chegam no 156 e decidimos a ordem avaliando sempre critérios de circulação viária. Entendemos que precisamos dar atenção às vias de grande fluxo em primeiro lugar — finalizou Sabino.

Funcionários da prefeitura retomaram operação tapa-buracos

Equipes da prefeitura estão desde o início da manhã desta segunda na Avenida Bento Gonçalves, no bairro Agronomia, tapando buracos no asfalto. Essa é a primeira via a receber reparos após a negociação da dívida.

De acordo com Elizandro Sabino, mais de 40 vias irão receber trabalhos de recuperação do asfalto. Entre elas, estão avenidas de grande fluxo e que apresentam centenas de buracos, como Protásio Alves, Antonio de Carvalho, Sertório e Voluntários da Pátria. 


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.