Cartão-postal

Os jeitos de ver o Guaíba: do museu 

Uma das obras que podem ser apreciadas da Fundação Iberê Camargo está em exposição permanente

Por: Bruna Vargas
25/08/2017 - 19h14min | Atualizada em 25/08/2017 - 19h14min
Os jeitos de ver o Guaíba: do museu  André Feltes/Especial
Foto: André Feltes / Especial  

Os visitantes têm sorte: uma das obras que podem ser apreciadas da Fundação Iberê Camargo está em exposição permanente. Das janelas retangulares do prédio projetado pelo arquiteto contemporâneo português Álvaro Siza Vieira, na zona sul de Porto Alegre, vê-se uma paisagem que tem o Guaíba como pano de fundo.

Distribuídas entre os pavimentos, as aberturas fazem parte da visitação do local: é comum ver pessoas que vão conhecer os trabalhos temporários postadas em frente a elas, admirando e beleza natural.

Leia mais:
Guaíba: fonte de abastecimento da Capital e emblemático cartão-postal

— O pôr do sol (no Guaíba) é o cartão-postal da cidade. E nós percebemos que as pessoas gostam de conviver à margem do rio — avalia o diretor artístico da Fundação Iberê Camargo, Bernardo José Souza.

A integração com o entorno tem sido uma das principais responsáveis pelo sucesso de frequentadores que tem sido o museu desde maio. Foi quando começaram as atrações especiais aos sábados e domingos. Em resposta a uma crise financeira que fez com que o local fechasse as portas de segunda a sexta-feira, a direção apostou em uma série de atividades culturais, como projeções de filmes, bate-papos, e atrações musicais dentro e fora do museu. A ideia era quebrar o gelo entre o local e o público, convidando as pessoas a se aproximarem.

O resultado foi casa e quintal cheios: pelos cálculos do museu, 1 mil pessoas por dia tem frequentado o local nos finais de semana. Foodtrucks vendendo comida e bebidas garantem o movimento no entorno — inclusive no gramado do outro lado da rua, que fica tomado de cangas, bicicletas e gente — até o fim do dia, quando o sol desaparece no Guaíba.

O que: finais de semana na Fundação Iberê Camargo
Quando: sábados e domingos, a partir das 15h
Onde: Avenida Padre Cacique, 2.000
Quanto: gratuito

Foto: André Feltes / Especial
Foto: André Feltes / Especial
Foto: André Feltes / Especial
Foto: André Feltes / Especial

Conheça outros pontos:
De dentro
Da ilha
Da Zona Sul
Do Centro Histórico

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.