Solidariedade

Grupo distribui sopão a moradores de rua no centro de Porto Alegre

Voluntários preparam o alimento em Cachoeirinha e levam a Porto Alegre em uma Kombi 

Por: Jéssica Rebeca Weber
16/08/2016 - 04h05min | Atualizada em 16/08/2016 - 04h05min
Grupo distribui sopão a moradores de rua no centro de Porto Alegre André Ávila/Agencia RBS
Grupo serve sopa de legumes a moradores de rua nas sextas-feiras Foto: André Ávila / Agencia RBS

Por volta das 22h, uma Kombi branca estaciona debaixo do viaduto da Rua Conceição, no centro de Porto Alegre. Não demora muito para uma fila se formar junto à Rua Voluntários da Pátria, composta por moradores de rua que pegam, agradecidos, uma porção de sopa quente e pão.

A cena se repete quase todas as sextas-feiras em pontos como este, a Rua Garibaldi, a Vila dos Papeleiros, a Avenida Farrapos e a Praça XV, na Capital, e em locais da cidade de Cachoeirinha. Há dois anos, um grupo de voluntários da Região Metropolitana prepara o alimento e distribui para quem passa fome, por meio do projeto Missão de Paz.

Leia também:
Fruteiras irregulares do centro de Porto Alegre atravancam calçadas

O Dilúvio como lar: mais de 10 pontos da margem do arroio viram casa para moradores de rua

— A gente faz a sopa, corta as pet (garrafas descartáveis), prepara as caixinhas de leite (onde servem a refeição) e bota na Kombi. Pedimos para Deus ir na frente e vamos atrás — diz Adriano Pedro Borges, 35 anos, ex-usuário de crack e hoje missionário pela Assembleia de Deus da Vila da Paz, em Cachoeirinha.

Adriano calcula que o grupo tem cerca de 20 voluntários e destaca que o sopão dá a possibilidade de aproximação com os moradores de rua, com o objetivo de tirá-los dessa condição. Paulo Ricardo França da Silva, 20 anos, hoje ajuda a cortar os vegetais para a sopa e distribuir as porções, mas ele já esteve do outro lado. Lembra que estava consumindo drogas atrás da Rodoviária quando o grupo chegou, ofereceu comida e ajuda para se tratar.

— Eu achava que eu estava feliz do jeito que eu estava, na droga, mas hoje a gente vê que a realidade é bem diferente — conta o jovem, que agora trabalha como pedreiro.

Marcelo Correio Conceição, 32 anos, morador de rua, curte a comida e também o hip hop que o grupo deixa tocando em bom volume na Kombi.

— Toda sexta-feira eles estão aqui, apoiando a gente — diz.

Quem tiver interesse em ajudar o projeto por meio de doações pode entrar em contato com o Adriano pelo WathsApp (51) 8434-5022.

Voluntários levam alimento dentro de uma Kombi Foto: André Ávila / Agencia RBS

Leia mais notícias de ZH Pelas Ruas


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.