Patrimônio

Obra na Igreja das Dores, na Capital, permitirá visita às torres

Restauro deve ser concluído no final de 2017 e prevê os primeiros passos para a criação de um museu de arte sacra no local

Por: Bárbara Müller
15/09/2016 - 04h02min | Atualizada em 15/09/2016 - 11h47min

Um dos cartões-postais de Porto Alegre, a Igreja Nossa Senhora das Dores, no Centro Histórico, passará por nova fase de restauro nos próximos meses. Com a conclusão da reforma, prevista para o fim de 2017, os visitantes poderão participar de visitas guiadas às torres do templo, que é o único tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) na Capital. 

Caminhada guiada gratuita é opção no Acampamento Farroupilha
Museu da PUCRS é eleito nono melhor do Brasil pelo TripAdvisor

A novidade será apresentada para a comunidade hoje, às 19h30min, após a missa. Aprovado em 2015 pela Lei de Incentivo à Cultura do Estado (LIC-RS) e patrocinado pela Braskem, o projeto prevê restauro do retábulo da capela suplementar, do telhado, de bens integrados da capela mor – como altar, pinturas, portas, tribunas – além, também, da implantação do Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI). 


Templo no Centro Histórico é o único tombado pelo Iphan na Capital Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

– A igreja não está atrelada somente à questão religiosa. Ela está muito ligada, também, a questões históricas, culturais, patrimonial e arquitetônica. Aqui tem muita procura para pesquisa, queremos fortalecer a parceria com as universidades – ressalta o pároco da igreja e coordenador do projeto, padre Luís Carlos de Almeida. 

Diariamente, escolas e turistas visitam o local, mas, atualmente, os passeios são limitados. Com a implantação do PPCI, será possível visitar as torres do templo e contemplar uma vista diferente de Porto Alegre. A igreja católica já é palco de apresentações musicais, exposições de curto prazo, capoeira e recebe fiéis de outras religiões.

– A igreja é muito forte, por exemplo, na cultura afro. Temos encontros e rituais aqui nas escadarias. É um espaço aberto a todos os tipos de cultura, religião, enfim, à comunidade – destaca Gabriela Magagnin, que coordena a captação de recursos para o templo. 

A execução do projeto de restauro dá base para que um museu de arte sacra seja instalado futuramente. Assim, um acervo com mais de 2 mil itens poderá ser visto pelo público. 

Espaço para arte sacra precisa de recursos

O projeto do museu foi aprovado pela Lei Rouanet do Ministério da Cultura em 2015, mas para sair do papel precisa encontrar apoiadores até o fim deste ano. Qualquer pessoa pode ajudar. O valor investido é abatido no imposto de renda do próximo ano. 

– (Com o restauro) Estaremos bem amparados para receber o museu, que vamos contemplar em outro projeto, mas teremos todos os alicerces para levar isso adiante. A fé está aqui representada, mas a parte cultural é o diferencial da Igreja das Dores – avalia a museóloga Caroline Zuchetti. 

A arquitetura da Igreja Nossa Senhora das Dores tem mais de 200 anos. O templo passou por restauro entre 2001 e 2006 – também com verba da LIC-RS – quando houve troca de fiação e reparo da nave. Mesmo com as obras em andamento, a igreja seguirá aberta aos visitantes.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.