Espera

Moradora aguarda há dois anos por corte de árvore que ameaça cair no bairro Santo Antônio, em Porto Alegre 

Agentes da Smam estiveram no local e confirmaram que a árvore está condenada, colocando-a na fila de demandas 

Por: Bárbara Müller
28/12/2016 - 16h38min

Faz dois anos que Salete Henriques, 63 anos, entra em contato com a prefeitura de Porto Alegre para pedir a retirada de uma árvore que ameaça cair na Rua Francisco de Assis, no bairro Santo Antônio. O tronco inclinado em direção à casa dela oferece perigo para qualquer um que circule pelo local. Aflita com a situação, a dona de casa não tem mais noites de sono tranquilas, principalmente quando há previsão de chuva e vento forte.

— Há um ano, veio um engenheiro aqui e condenou a árvore. Mas caiu no esquecimento. Vivo com medo de que, com um temporal, a árvore caia e detone tudo — relata Salete, moradora do bairro há 16 anos, que completa: — Era uma árvore linda, bem florida, mas deve ser muito antiga, o tempo foi acabando com ela.

Foto: Bárbara Müller / Agência RBS

Enquanto arranca, sem esforço, pedaços do tronco apodrecido, a dona de casa comenta que foi preciso abrir mais de um protocolo pedindo a remoção da árvore, pois "a prefeitura nunca encontrava o número do atendimento" quando ela ligava em busca de informações. Esse segundo chamado foi feito, conforme ela informa, há mais de dois meses:

— Eu ligo pra lá e eles me dizem que está na fila, que tem que aguardar. Mas a árvore está muito inclinada e soltando do solo. Se desse, eu mesma cortava, mas não tem como.

Veja também:
Porto Alegre atinge índice de alerta para infestação de Aedes aegypti
Porto Alegre terá mais duas faixas prioritárias para ônibus e lotações

Apesar de ter feito a frente, o pedido não é só de Salete, é de outros moradores da rua também. Preocupada, a aposentada Vera Ongaratto, 61 anos, diz que a área acaba sendo perigosa até para as crianças do bairro, que costumam brincar na rua. Ela conta que, no domingo, pensou que a árvore fosse cair:

— Tinha muito vento, estava apavorada! No outro temporal que teve, os moradores tiraram os galhos que ficaram no meio do caminho porque ninguém veio aqui.

Em outubro de 2015, agentes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) estiveram na Rua Francisco de Assis e atestaram que a árvore estava condenada e colocaram o vegetal na fila de demandas. De acordo com a pasta, a remoção só é imediata quando a árvore não tem mais condições de se manter equilibrada por muito tempo. O órgão informa que o atendimento para esse protocolo será priorizado e que a remoção deve ocorrer nos próximos dias. Atualmente, as equipes de poda e remoção de vegetais da Smam estão focadas na região da orla do Belém Novo, onde diversas árvores caíram após os fortes ventos registrados na segunda-feira.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.