Zona Norte

Terminal Triângulo segue destelhado dois anos após vendaval em Porto Alegre

Licitação foi feita, mas empresa não assinou contrato para começar a obra

Por: Jéssica Rebeca Weber
20/12/2016 - 14h20min | Atualizada em 20/12/2016 - 14h40min
Terminal Triângulo segue destelhado dois anos após vendaval em Porto Alegre Jéssica Rebeca Weber/Agência RBS
Terminal na Avenida Assis Brasil está destelhado desde dezembro de 2014 Foto: Jéssica Rebeca Weber / Agência RBS  

Esta terça-feira marca um aniversário pesaroso para os usuários de ônibus na Zona Norte de Porto Alegre. Completam-se dois anos que ventos fortes de um temporal levaram boa parte da cobertura do Terminal Triângulo, na Avenida Assis Brasil. Passam pelo local cerca de 96 mil pessoas por dia, multidão que, em dias de chuva, precisa esperar sua linha entre goteiras gigantes ou sol forte.

Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), afirma que a demora ocorre porque a prefeitura pretende realizar também reparos na estrutura do terminal de aproximadamente 20 anos, além da recuperação da cobertura. Dois pregões eletrônicos foram realizados para a obra no último meio ano. Depois de uma licitação deserta, duas empresas se inscreveram na segunda tentativa, quando a F e F Engenharia, de Novo Hamburgo, fez a melhor proposta (R$ 1.168.000).

Leia também:
Porto Alegre registra 27 casos de zika vírus em 2016
Em oito anos, população de rua de Porto Alegre cresce 75%

Mas nem isso não garantiu o começo das obras. O prazo para a empresa fechar o contrato acabou em novembro, mas, até essa semana, ela ainda não havia assinado. A reportagem tentou contato com a empresa, que não respondeu.

A prefeitura segue dialogando com a companhia. De acordo com Cappellari, os empresários temem que o poder público tenha dificuldade em repassar os valores da obra. O diretor da EPTC busca junto à Secretaria da Fazenda alguma solução.

— A gente ainda não decidiu chamar a segunda colocada porque quer esgotar a questão de encontrar uma forma que fique satisfatória para a empresa, na questão das garantias de recebimento da execução da obra.

Cappellari admite que houve demora.

— O nosso desejo era poder fazer as coisas no dia seguinte ao temporal. Mas houve a necessidade da contratação de um laudo estrutural, que foi a coisa mais difícil que a gente teve para resolver — diz.

A licitação prevê a recuperação e pintura da estrutura metálica, com substituição de peças como vigas e treliças. Também delega a reposição das telhas arrancadas e a substituição das que estão vulneráveis. 

O Pelas Ruas voltou ao Terminal Triângulo três vezes depois do destelhamento. Confira vídeo feito em setembro do ano passado, com reclamações de usuários:

Leia mais notícias de ZH Pelas Ruas

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.