Destino correto

Para economizar em horas extras, prefeitura de Porto Alegre reduz horário de ecopontos 

Locais para descarte de lixo "especial" funcionam a partir das 8h

Por: Bárbara Müller
26/01/2017 - 15h44min | Atualizada em 26/01/2017 - 16h50min

Para diminuir os custos com horas extras de servidores municipais, os pontos de descarte de resíduos e materiais em Porto Alegre estão abrindo meia hora mais tarde — a partir das 8h. A economia anual será de R$ 81.396, conforme o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU). Conhecidas como ecopontos, as Unidades de Destino Certo (UDCs) são fundamentais para o encaminhamento correto do lixo que não vai direto para aterros, como caliça, móveis e pedaços de árvores.

Implantado em 2010, o serviço conta com nove UDCs para receber resíduos não destinados à coleta regular. A estrutura tem 44 servidores, que tiveram as horas extras mensais diminuídas de 805 para 448. O horário foi reduzido — de segunda à sexta, das 8h às 17h, e sábados e feriados, das 8h ao meio-dia —, mas os ecopontos permanecem funcionando nos mesmos dias. A única unidade que tem um horário diferente durante a semana é a do bairro Glória, na Rua Professor Carvalho de Freitas, que fica aberta até as 19h.

Leia mais:
Prefeitura de Porto Alegre divulga lista de dívidas com fornecedores
SP gera debate sobre grafite; veja o que pensam produtores e governo da Capital

As UDCs recebem da população móveis e eletrodomésticos danificados ou sem utilidade, colchões, pneus, madeiras, caliça, podas e terra. Os ecopontos têm também um Posto de Entrega de Óleo de Fritura (Peof) e um Posto de Entrega Voluntária (PEV) para materiais destinados à coleta seletiva. Porém, nem todo lixo pode ser levado até as unidades: lâmpadas fluorescentes, pilhas, baterias e medicamentos vencidos, por exemplo, devem ser descartados de outra maneira (leia no quadro). Não são aceitos descartes maiores do que um metro cúbico por dia ou mais que quatro pneus por pessoa.

Apenas pessoa física pode fazer o descarte nos ecopontos. No local, servidores acompanham a entrega e orientam onde cada objeto pode ser deixado. Há seis espaços: para coleta seletiva, para caliça e ferro, para pneus, para poda, para eletrônicos e eletrodomésticos e para restos como móveis e madeiras.

Veja outras reportagens do Pelas Ruas

Os resíduos e materiais descartados são levados para a Lomba do Pinheiro, em uma estação de transbordo. Lá, a poda é separada para ser transformada em adubo, alguns itens são direcionados à reciclagem e o restante é transportado para Minas do Leão, junto com todo o lixo da cidade.


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.