Barbada ZH

9 dicas para mudar sua relação com as contas e sair da inadimplência

Entenda seu orçamento, economize e se livre das dívidas

19/05/2017 - 11h46min | Atualizada em 19/05/2017 - 15h47min
9 dicas para mudar sua relação com as contas e sair da inadimplência Adriana Franciosi/Agencia RBS
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS  

Um atraso aqui, outro ali. Rapidamente, uma conta pode virar uma bola de neve difícil de ser paga, especialmente se for no cartão de crédito com seus altos juros. A situação é grave e, pelo menos, 59 milhões de pessoas físicas estavam negativadas no Brasil ao final do mês de abril, conforme o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). 

Leia mais
Confira dicas para economizar em festas de aniversário de crianças 
Vai anunciar um produto pela internet? Veja como ampliar as chances de venda 
Leia outras matérias do Barbada ZH

A assessoria DSOP Educação Financeira elaborou estas dicas para ajudar a sair da inadimplência. Avalie o que faz sentido no seu caso e arregace as mangas para colocar as contas em dia. 

9 dicas para sair da inadimplência

1. No papel: defina as contas de necessidade básica (como água, energia elétrica, gás e aluguel) e as que têm juros mais altos como prioridades de pagamento. Anote todas as dívidas e, assim, é possível enxergar as despesas mensais para fazer cortes.

2. Conheça os seus gastos: anote durante 30 dias todos os gastos que tiver, separando por tipo de despesa. Até mesmo gastos pequenos. No final do período, você deve compreender para onde foi o dinheiro e avaliar onde os custos podem ser diminuídos.

3. Negocie quando for possível: se decidiu negociar uma dívida, avalie se é realmente possível custear as prestações e quitar a dívida sem causar mais problemas.

4. Cuidado com a troca de dívidas: pense bem se optar por um crédito consignado é uma boa ideia. Apesar de oferecer juros baixos em comparação ao cartão de crédito, cheque especial e financiamentos, o pagamento é retido diretamente do salário. Então, quem já está com dificuldade em administrar as finanças e tem a renda reduzida pode acabar com novos endividamentos e problemas ainda maiores.

5. Repense as suas compras: se questione sobre a necessidade real das novas aquisições. São produtos que você precisa de verdade? É uma compra motivada por impulso ou influência de outras pessoas? Isso pode ajudar a gastar melhor o seu dinheiro.

6. Poupe primeiro, compre depois: um hábito pouco recorrente é guardar dinheiro antes de gastar. Ao desejar a compra de algo que está fora do alcance no momento, pesquise preços e comece a juntar recursos para pagar à vista. Além de conseguir um preço melhor por conta de descontos, evitará acumular parcelas.

7. Entenda os seus rendimentos: tanto trabalhadores assalariados quanto de renda variável podem se perder, no final das contas, em quanto realmente recebem para gastar. Uma vez que não se sabe o quanto ganha, não se sabe o limite de gastos que pode ter nem consegue fazer um planejamento adequado.

8. Foque nos sonhos: em momentos de crise financeira, é importante resgatar sonhos e objetivos que realmente importam e que te motivam a dar a volta por cima. Faça uma lista com três sonhos: um de curto prazo (a ser realizado em até um ano), um de médio prazo (entre um a dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos), sendo que um deles deve ser sair das dívidas.

9. Depois de sair das dívidas, invista: com os números do diagnóstico financeiro em mãos, é possível conhecer a força de poupança após os cortes, para realizar o sonho de sair das dívidas. Aplique o dinheiro em um investimento que seja coerente ao tipo de objetivo (prazo) e ao perfil do investidor. Caso tenha dificuldade para investir, é válido consultar um especialista.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.