Barbada ZH

Cortinas de tecido estão em alta de novo na decoração

Para quem tem a costura como um hobby, a ideia é criar a sua própria, em versão de tecido, com ou sem ilhoses

06/09/2016 - 17h00min | Atualizada em 06/09/2016 - 17h00min
Cortinas de tecido estão em alta de novo na decoração Agência RBS/Agência RBS
Foto: Agência RBS / Agência RBS

Depois de horas projetando e visitando obras, a arquiteta Barbara Engel poderia fugir do assunto casa. Mas, apaixonada por costura, entre pontos e recortes relaxa da rotina do dia a dia:

– Tenho mãe alemã. Quando eu tinha seis anos, ela me sentou em uma máquina e me ensinou a costurar. Simplesmente adoro. Entro em uma loja com acessórios como ilhoses e ponteiras e fico louca.

Foto: Carlos Edler / Divulgação

Para seu apartamento, aproveitou as horas de descanso e sobras de tecido branco que usou em uma mostra de arquitetura e confeccionou as cortinas de seu quarto e das filhas. Tudo clean, como também gosta de empregar em seus projetos.

– Não gosto de muito volume de pano. Prefiro o visual mais leve – afirma, para depois complementar que é crescente o pedido dos clientes pelos modelos em tecido, principalmente em casas térreas.

Para criar as suas cortinas, o lado arquiteta e o bom humor não poderiam ficar de lado: no lugar de fita métrica, usa réguas de escalas para tirar as medidas.

Diversão exposta
Por R$ 27 o metro na loja Tecidos Super, o linho branco deu o plano de fundo neutro desejado. Cada cortina saiu por volta de R$ 200: varões de 1m80cm podem ser encontrados a partir de R$ 49 o kit. Para o quarto abaixo, a escolha foi por ilhoses comprados na loja Meridiano


Foto: Carlos Edler / Divulgação

PARA QUEM QUER OUSAR

Foto: Rodrigo Tozzi / Divulgação

A designer de interiores mineira Melina Mundim é do time que gosta de tecidos impactantes. Mas com ressalvas na hora da escolha da estampa.

– É importante que a cortina e o espaço em que está instalada sigam o mesmo conceito – afirma.

Nos projetos abaixo, o pano escolhido foi o algodão e, como trazem desenhos marcantes, foram mesclados com elementos neutros. No quarto, todos os demais tons partem de matizes de bege, e a instalação tem uma proposta mais despojada, pois fica com efeito solto devido o forro de madeira mais alto.

Foto: Rodrigo Tozzi / Divulgação

Já na sala, o xadrez verde inclui frescor na composição com o lilás do sofá. A textura mais expressiva fica por conta do revestimento de madeira da parede.

                                                       

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.