Arquitetura de interiores

Reforma: eventos de lazer ou trabalho têm espaço no Takêdo 

Ambiente multiuso tem tanto equipamentos focados em reuniões empresariais quanto estrutura para recepções festivas 

21/09/2016 - 19h33min | Atualizada em 22/09/2016 - 01h00min

Funções diversas com equipamentos que permitam versatilidade de uso têm sido uma premissa para espaços com propostas abertas de ocupação. No caso do Espaço Giulio Ferrari, a arquiteta Ligia Piccini, do escritório Kali Arquitetura, transformou uma área de 36 metros quadrados no térreo da casa do restaurante Takêdo, antes usada para uma loja de vinhos, em um espaço para pequenos eventos no bairro Bela Vista, em Porto Alegre. 

Jogo de texturas marca o ambiente monocromático com layout previsto para acomodar 30 pessoas sentadas no projeto da arquiteta Ligia Piccini   Foto: Marcelo Donadussi / d

Cabe no ambiente monocromático charmoso desde uma reunião de negócios até uma celebração festiva. Contribuem para isso os equipamentos e a composição do layout. Organiza o espaço uma grande mesa branca feita de compensado naval, com 1,10m x 6,90m com tomadas para proporcionar o uso de computadores e monitores, em caso de reuniões empresariais. Sobre a mesa, o forro de gesso deslocado dá a impressão de flutuar, sensação ressaltada pela iluminação indireta, com efeito cênico. Spots pontuais com dicroicas (o mesmo tipo usado na parede verde) são alternativas à sanca com fluorescentes ou fita de LEDs.

A mesa tanto serve para encontros formais corporativos quanto para uma experiência gastronômica, em parceria com o serviço do restaurante japonês que funciona no andar superior Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Ao lado da mesa, com acomodações para 25 pessoas, uma bancada para confraternização informal acresce em cinco lugares a proposta junto ao bar. Ali é observada a sequência da identidade visual do restaurante: dialogam a parede de revestimento texturizado de um lado e, formando o setor de bar, o fundo de espelho é detalhado por ripas metálicas brancas – que, na fachada e no interior do Takêdo, ocorrem em dourado.

Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Vale ressaltar que o novo espaço tem acesso independente mas, da entrada do restaurante, é possível observar uma parede curva que indica a proposta contida dentro da caixa branca. A monocromia é quebrada por um rasgo de vegetação, ao fundo do espaço, destacando a circulação entre os ambientes. 

– A opção de usar tudo branco foi o mais difícil e o mais interessante, usando textura com elementos do restaurante – diz Ligia, que optou por quebrar o branco com a parede verde de aspargos, item importante também no deque do restaurante.

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.