Interiores

Reforma revê a compartimentação de um apartamento após 10 anos

Planta integrada é revista para criar novamente o segundo dormitório

21/09/2016 - 16h55min | Atualizada em 21/09/2016 - 16h55min

Repensar a planta do apartamento de um publicitário, no sexto andar de um prédio no bairro Rio Branco, havia sido uma ousadia concretizada há uma década. Desta vez, a necessidade por uma atualização geral na proposta daquela época, quando apenas a suíte do casal tinha privacidade, incluía o fechamento de um espaço para acomodar um quarto de hóspedes. Para ficar aberta na medida da necessidade do lifestyle do momento. E, claro, para criar uma solução para a disposição das bicicletas, dentro do refresh geral. 

Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Entrou em cena o designer de interiores a um ano da titulação em Arquitetura Johnny Thomsen. Ao avaliar as condições dos 100 metros quadrados, Johnny decidiu renovar as aberturas e trocar os pisos. Sobre a parede branca da sacada já fechada na reforma anterior, foram colocadas as bicicletas, sem receio de marcar a tinta, deixando as impressões dos pneus serem depositadas ali.

O piso novo, laminado de madeira, em padrão champanha, aquece o visual. Observe a mistura de revestimentos e cores contrastantes no projeto da casa de um profissional descolado que preza a vida integrada Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Na área da cozinha, foram mantidos os vestígios do projeto do arquiteto Cláudio Resmini, autor inclusive do design do armário escuro e da bancada de inox apoiada sobre vidro.

– Adorei a intervenção – ressalta Johnny, demonstrando generosidade e maturidade profissional, ao ensinar que uma reforma pode ser feita a partir do inventário das condições preexistentes. 

Até os elementos funcionais mereceram cuidado especial para entrarem na proposta de renovar o visual, sem perder de vista a funcionalidade Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Essa avaliação poderá indicar, como foi o caso, o que deve ser mantido e o que precisa ser trocado. Esse é o caso da nova marcenaria branca da cozinha, de material conhecido como fórmica líquida, sem junta, conforme destaca o profissional.

O designer de interiores Johnny Thomsen ressalta que a mesa de jantar exibe um padrão de sua preferência ¿ a mistura de branco e madeira ¿ e tem dois práticos nichos na base. As cadeiras têm assento de couro com pele, em sintonia com o tapete. Sobre a mesa, uma luminária Tolomeu. Na vizinhança, obra de Nelson Wilbert na parede Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

O vermelho marcante em algumas paredes e parte do teto teve o tom alterado, mas a cor já havia sido uma escolha do projeto anterior. Já o mobiliário da área foi renovado, assim como as luminárias e até obras de arte novas entraram em cena. Johnny diz que mudou as cores, mas manteve a alma da casa.

Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação
Os tons de madeira, branco e preto organizam as combinações de tons quentes  Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Antigo e novo em harmonia após reforma

Ao fundo do escritório, que ocupa espaço no centro da casa, um apartamento na Capital, o volume de pau-ferro é a nova parede divisória do dormitório de hóspedes, compartimentado pelo projeto desta reforma. O projeto readequou a proposta contemporânea às necessidades atuais do proprietário. 

Escritório, sala, cozinha e jantar propõem convívio. Ao fundo da áreas de trabalho e da sala, o que parece ser um painel é uma parede que criou um segundo quarto no apartamento em Porto Alegre  Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Observe como essa mudança no layout impacta na área social integrada, tanto do lado do estar quando do recanto de trabalho. No contorno do volume com tom de madeira, prateleiras aéreas pretas foram encaixadas na estrutura criada para fechar o novo espaço curinga que contribuiu com um painel de fundo escuro para o living.

– As paredes são duplas, com lã de rocha no meio para isolamento acústico e, do lado do quarto, fazem o fundo de um armário para roupas – explica o designer de interiores Johnny Thomsen, autor da revitalização.

Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação

Escolhas de mobiliário exibem mistura de peças de antiquário, de design assinado e outras de autores desconhecidos. Veja o bar junto ao estar, disposto com garrafas abaixo da obra de Nelson Wilbert (abaixo) que Johnny Thomsen havia usado em um ambiente da Mostra Casa&Cia 2011, o Blue Velvet. Nesse recanto, um ícone: a cinquentona luminária Arco, de Achille Castiglioni.

Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação
Entre os móveis de antiquário que agregam o espírito de outras épocas, esta peça curinga acomoda copos ou louças Foto: Marcelo Donadussi / Divulgação
 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.