Reciclagem

Soluções simples modificaram este sobrado

Troca de cores e da posição dos móveis imprimiram amplitude e jeitinho de casa de praia à casa

06/10/2016 - 06h01min | Atualizada em 06/10/2016 - 06h57min
Soluções simples modificaram este sobrado Joana Feijó/Divulgação
Foto: Joana Feijó / Divulgação

É na cidade, mas com um jeitinho de casa de praia. A transformação projetada pelas arquitetas Joana Feijó, Maria Alice Hocevar e Cintia Spagnól, do escritório Bem Bolado, foi idealizada a partir da fórmula de que a prioridade está no que trará, de fato, qualidade de vida para o morador.

Foto: Joana Feijó / Divulgação

Com um trabalho voltado para reciclagens e propostas de custos moderados, o trio identificou rotinas do casal que conduziram a decisões de layout bem-definidas.

– O espaço de estar deveria ser valorizado, pois os dois assistem muito à televisão. Alteramos a posição do rack e com isso ganhamos espaço para um sofá feito sob medida em formato de L, com base de pínus autoclavado e verniz – explica Maria Alice.

Foto: Joana Feijó / Divulgação

Neste setor, observa-se que a alteração dos pontos escolhidos para impactar com cores também foi fundamental: antes, a parede vermelha era voltada para a entrada da casa. Hoje é vista por quem está sentado no estar.

– Mesmo mantendo o vermelho, percebe-se que a sala ficou mais clara ao escolher outra divisória para ser colorida – diz Joana.

Foto: Joana Feijó / Divulgação

Sem mexer no forro, os pontos de luz preexistentes estão potencializados com soluções simples, como a substituição do plafon por um trilho, possibilitando que as lâmpadas fossem direcionadas para diferentes pontos da sala. Os pendentes também trazem um troque descompromissado, com três fios vermelhos e lâmpadas bola.

Foto: Joana Feijó / Divulgação

Faça você mesmo
A churrasqueira tinha o volume estrutural marcado por uma textura tom mostarda. As arquitetas escolheram na reciclagem tijoletas de polipropileno da marca Santa Luzia. Como não vai rejunte – apenas cola de silicone – o truque é pintar o fundo de um tom parecido ao do falso tijolo. Aqui, houve mão de obra profissional, mas com um pouco de habilidade é possível a pessoa fazer a transformação sozinha

Boa ideia
Para ter uma penteadeira sem perder em circulação, uma escrivaninha com apenas 30cm de profundidade foi eleita. Veja os dois cestinhos aramados como suporte na parede. Até o porta-lápis do tampo hoje é usado para guardar pincéis. O fundo geométrico é um papel de parede. A cabeceira da cama e as mesas auxiliares foram mantidas – apenas a parede foi pintada com tinta acrílica em um tom de vermelho-cereja


Papel adesivado
No lavabo, uma brincadeira com as cores primárias foi feita pelo trio. O móvel em laca azul-klein é uma das poucas peças feitas com marcenaria sob medida no projeto

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.